Presidente do IDEAL entrega Selo Solar a escola estadual do RS

O presidente do IDEAL, Mauro Passos, entregou o Selo Solar à Escola Estadual de Ensino Médio José Luchese, de Lagoa Bonita do Sul (RS), na última quarta-feira (21/02), em cerimônia no Palácio Piratini, em Porto Alegre, com a presença, entre outras autoridades, do governador do Estado, José Ivo Sartori e do Secretário Estadual de Educação, Ronald Krummenauer. A escola está localizada na região Centro Serra do Vale do Rio Pardo e é a primeira escola pública do Brasil a receber a certificação. Lá foram instalados 25 painéis solares que produzem, em média, 80% da necessidade mensal da instituição de ensino. “A sensação que tenho em um evento como este é de que a semente foi plantada e a ideia está incorporada”, disse Passos referindo-se à implementação da energia solar fotovoltaica.

A aquisição do sistema foi possível graças aos programas da Japan Tobacco International (JTI) chamados “Nossas Comunidades Rurais” e “Alcançando a Redução do Trabalho Infantil pelo suporte à Educação (ARISE)” por meio do programa do Governo do Estado “Escola Melhor: Sociedade Melhor”. O ARISE é desenvolvido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), pela ONG Winrock Internacional (WI) e pela JTI, visando contribuir para a erradicação do trabalho infantil nas lavouras de tabaco da região em que atua. Com a economia na conta da luz foi possível contratar uma professora para atender permanentemente os alunos em oficinas de música que acontecem no contraturno escolar.

O Selo Solar é uma iniciativa do Instituto IDEAL com apoio do WWF-Brasil e Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da GIZ e KfW.

IDEAL concede Selos Solares a autoprodutores de quatro estados

O Instituto IDEAL concedeu Selos Solares nesta semana para cidades de quatro estados diferentes: Mossoró, no Rio Grande do Norte; Maceió, em Alagoas; Rio Bonito, no Rio de Janeiro; e Frederico Westphalen, no Rio Grande do Sul.

A arquiteta Izabel Maria Montenegro Diniz Macedo, de Mossoró (RN), possui um sistema de 5,30 kWp instalado em seu escritório desde maio do ano passado. Este foi o primeiro Selo Solar concedido para o Rio Grande do Norte.

A Construções Ipanema, de Maceió (AL), recebeu o certificado por ter um sistema de 16,9 kWp instalado em sua sede desde janeiro de 2017. Por ter uma potência alta, parte da energia gerada é usada em outras três unidades: uma filial e duas residências.

Outras duas residências receberam o Selo: a de Aldo Sorensen Ghisolfi, em Frederico Westphalen (RS), que possui um sistema de 3,64 kWp instalado desde abril de 2017; e a de Lucia Fátima Gonçalves Mendes Dornellas, em Rio Bonito (RJ), com um sistema com capacidade de 8,20 kWp, instalado desde julho do ano passado.

O Selo Solar é uma iniciativa do Instituto IDEAL com apoio do WWF-Brasil e Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da GIZ e KfW.

Indústria no RS produz cuias com energia do sol

Fábrica Cuias Jadi, de Frederico Westphalen (RS), produz cuias com o uso de energia solar e espera um retorno de investimento em cinco anos.

As cuias de chimarrão da fábrica Cuias Jadi, de Frederico Westphalen (RS), são comercializadas principalmente no Sul do Brasil, mas também são vendidas no exterior, em países como Argentina, Estados Unidos, Canadá e Alemanha. E, desde outubro de 2017, os produtos possuem um diferencial: o Selo Solar. “É um reconhecimento do nosso trabalho que chega inclusive a outros países. Estamos muito contentes”, afirmou Valéria Ciocari Trevisol, proprietária da empresa junto com o marido Jadir Trevisol.

O fato de produzir sua própria energia, de forma sustentável, e, assim, ter um diferencial comercial, foi um dos motivos que levou os proprietários a investir na energia solar. Mas o que mais pesou mesmo foi a possibilidade de retorno econômico, mais uma prova de que os custos para a implementação desta forma de energia estão caindo.

Segundo Valéria, a empresa tinha capital de giro para investir na tecnologia, mas optou por manter estes recursos em caixa e fazer um financiamento no banco Sicredi. Tudo foi intermediado pela Marsol Energia, uma empresa da cidade. “O custo inicial era alto, mas vimos que teria retorno com o tempo e decidimos investir. Estávamos visualizando o futuro”, contou.

O custo do sistema, com potência de 9,1 kWp, foi de R$ 62 mil, financiado em três anos. A conta de energia, que era de cerca de 800 a 1000 reais por mês, passou para aproximadamente 140, 200 reais. “Teremos o retorno em cinco anos. E, como o sistema tem uma vida útil de no mínimo 25 anos, teremos pelo menos 20 anos de lucro pela frente”, avaliou Valéria.

O Selo Solar é uma iniciativa do Instituto IDEAL com apoio do WWF-Brasil e Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da GIZ e KfW.

IDEAL concede o 90º Selo Solar

O Instituto IDEAL atingiu uma marca importante em 2017: concedeu o 90º Selo Solar. O certificado foi entregue nesta semana para Pedro Paulo Martins, de Santo Amaro da Imperatriz, Santa Catarina, que possui um sistema fotovoltaico de 4,77 KWp instalado desde janeiro de 2017. Somando as potências dos módulos das residências, comércios, indústrias e iniciativas socioambientais que receberam o Selo, chega-se ao valor aproximado de 1,717 MWp.

O Selo Solar é uma iniciativa do Instituto IDEAL com apoio do WWF-Brasil e Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da GIZ e KfW. Foi criado para dar visibilidade à energia fotovoltaica. “O Selo Solar está, cada vez mais, cumprindo seu papel de reconhecer o uso pelos consumidores desta energia limpa e sustentável que vem do sol”, afirmou Mauro Passos, presidente do Instituto IDEAL.

O certificado é concedido para pessoas físicas (residências) e jurídicas (comércios e indústrias). As residências somam 39 Selos em várias regiões do país. Já o número de certificações entregues às pessoas jurídicas foi um pouco maior − 48. Receberam o Selo Solar proprietários (as) de negócios de diversos segmentos econômicos, como, por exemplo, a Cuias Jadi (Frederico Westphalen-RS), os postos de combustível Biasi & Cia (RS); a Guatambu Estância do Vinho, de Don Pedrito (RS); o estádio Pituaçu (Salvador, BA), entre outros. O Selo também foi entregue a uma organização social, a Associação dos Municípios do Oeste do Paraná e à Escola Estadual de Ensino Médio José Luchese (Lagoa Bonita do Sul-RS). Acesse o Mapa do Selo Solar para ver todos que o possuem.

Além disso, foram entregues quatro Selos Solares na categoria socioambiental, que contempla iniciativas que utilizam eletricidade solar e estão relacionadas ao meio ambiente e/ou possuem função social. Receberam o certificado socioambiental as duas vans do CineSolar, que pertencem à Associação Cultural Simbora, com sede em São Paulo-SP; a kombi do Circo de la Costa, do Rio de Janeiro-RJ, e os projetos Tamar na Praia do Forte, na Bahia, e em Florianópolis-SC. As vans e a kombi estão equipados com painéis solares, cuja energia é usada nas apresentações realizadas em diversas cidades do Brasil.

Ao todo, unidades consumidoras de 13 estados receberam o Selo Solar. O que mais recebeu foi o Rio Grande do Sul (15), seguido por Rio de Janeiro (13), Minas Gerais (12) e Santa Catarina e São Paulo (ambos com 10). Completam a lista Mato Grosso do Sul (9), Paraná (7), Bahia (6), Espírito Santo (3), Distrito Federal (2) e Alagoas, Ceará e Pernambuco (todos com um).

O número de Selos concedidos também tem aumentado ano a ano. Foram 13 em 2013; 8 em 2014 e em 2015; 23 em 2016 e 38 em 2017. O consultor do Programa América do Sol e gestor do projeto no Instituto IDEAL, Maurício Frighetto, acredita que o aumento está relacionado com a maior visibilidade e conhecimento público da certificação, assim como à revisão das diretrizes em 2016, o que facilitou os critérios e tornou mais eficiente a análise dos documentos.

Mauro Passos e Ricardo Rüther são homenageados no Sustentar 2017

Participação na curadoria de palestrantes, em debates e na divulgação do evento, foram algumas das atividades realizadas pelo Instituto IDEAL em apoio ao VI Fórum de Energias Renováveis, Consumo Responsável e Cidades Inteligentes – Sustentar 2017 -, realizado nos dias 8, 9 e 10 de novembro, na Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, em Florianópolis.

À diferença de edições anteriores, nesta, o presidente do IDEAL, Mauro Passos, e o diretor Ricardo Rüther, também coordenador do Centro de Pesquisa e Capacitação em Energia Solar da UFSC, foram homenageados por suas trajetórias de fomento às renováveis, sobretudo à energia fotovoltaica (FV), em Santa Catarina e em todo o país.

Mauro apresentou dados do mercado e destacou as várias iniciativas de debate a respeito da energia solar, em Florianópolis, apenas no mês de novembro. “Diante de tudo, ouso dizer que nossa cidade se transformou na capital da energia solar!”

Após a palestra e entrega da ‘Moção de Aplauso’ no dia 9/11 à noite, o presidente do IDEAL trouxe informação menos otimista, mas que não pode ser negligenciada: “O Brasil é o único país do mundo em que aumentaram as emissões de gás carbônico com um PIB decrescente, o único!” Rüther deu ênfase ao crescimento do mercado FV, que de abril a novembro deste ano, aumentou de 10 para 17 mil sistemas instalados: “Isso signifIca mercado, geração de emprego e renda”.

IDEAL organizou últimos eventos do projeto “Bônus Fotovoltaico”

Com os workshops em Lages e Chapecó, realizados, respectivamente, nos dias 18 e 23 de outubro, o Instituto IDEAL encerrou a série de seis eventos do “Bônus Fotovoltaico”, realizados anteriormente também em Florianópolis, Criciúma, Gaspar e Joinville. Os encontros integram a iniciativa conjunta da CELESC, Programa de Eficiência Energética da ANEEL e Engie Energia, que tem prevista a instalação, até o fim de novembro deste ano, de mil (1.000) sistemas fotovoltaicos em Santa Catarina. O objetivo foi levar informações sobre o projeto e conhecimento em energia fotovoltaica.

“O ‘Bônus Fotovoltaico’ é, sem dúvida, uma das iniciativas mais importantes no Brasil para disseminar a energia solar”, afirmou o presidente do IDEAL, Mauro Passos. Segundo a Engie Energia, a instalação dos sistemas fotovoltaicos está em fase final. Com potência de 2,6 kWp, os consumidores residenciais receberam um subsídio de 60%, ou seja, investiram R$ 6,6 mil – sem o subsídio, o valor seria R$ 16,7 mil. Segundo dados da CELESC, o payback previsto é de 3,6 anos.

Quatro dos eventos (Gaspar, Criciúma, Joinville e Lages) foram realizados em unidades do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), o que proporcionou que estudantes de diversas áreas, sobretudo as voltadas para o setor, pudessem assistir às palestras. “Foi uma forma de socializar o conhecimento e despertar o interesse nesses jovens para um novo mercado que surge”, afirmou Mauro Passos. Mais informações sobre o projeto podem ser encontradas em http://bonusfotovoltaico.celesc.com.br/.

Posto e fábrica de cuias recebem o Selo Solar do Instituto IDEAL

O Instituto IDEAL concedeu o Selo Solar para a Cuias Jadi, de Frederico Westphalen, e para o posto de combustíveis São Paulo, de Giruá, ambos do Rio Grande do Sul. Os sistemas fotovoltaicos das empresas possuem potência, respectivamente, de 9,1 kWp e 35 kWp, e foram instalados em fevereiro e janeiro deste ano. A empresa de cuias é a primeira do segmento a receber a certificação no país.

O Selo Solar é uma iniciativa do Instituto IDEAL com apoio do WWF-Brasil e Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da GIZ e KfW.

IDEAL lamenta profundamente morte do reitor da UFSC, Luiz Carlos Cancellier

O Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (IDEAL) – entidade que colabora acadêmica e cientificamente com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) há 10 anos, desde sua criação nesta mesma prestigiosa unidade de ensino -, expressa, por meio de sua diretoria e associados, profunda consternação e lamento diante da prematura morte de seu reitor; o professor, advogado e jornalista Luiz Carlos Cancellier de Olivo.

A tragédia de sua partida ocorre sob condições revoltantes que indicam a que o reitor falecido da UFSC, Luiz Carlos Cancellier, padeceu de abuso de autoridade em relação ao decreto de prisão temporária contra si expedido e, em relação à imposição de afastamento do exercício do mandato, causas eficientes de dano psicológico que o levaram a tirar a própria vida. O Instituto IDEAL se solidariza com a família, amigos e com a comunidade universitária neste momento de dor.

Histórico extraído da nota do Sindicato dos Jornalistas do Estado de Santa Catarina

Cau Cancellier teve sua trajetória no jornalismo marcada por seu trabalho como repórter de política do extinto jornal O Estado. Dedicou boa parte de sua juventude à luta contra a ditadura militar, pela redemocratização do país, e integrou, em meados dos anos de 1980, o Movimento de Oposição Sindical dos Jornalistas de Santa Catarina – MOS, que viria a assumir, alguns anos mais tarde, o Sindicato dos Jornalistas/SC.

A partir da década seguinte, dedicou-se à carreira acadêmica em Direito, graduando-se em 1998, e depois conquistando os títulos de mestre (2001) e doutor (2003), todos pelo Centro de Ciências Jurídicas da Universidade Federal de Santa Catarina, onde exerceu a carreira de professor e mandatos de direção, até ser eleito reitor da UFSC em novembro de 2015.

Luiz Carlos Cancellier de Olivo estava bastante abatido com o envolvimento de seu nome e de outras seis pessoas ligadas à UFSC na Operação Ouvidos Moucos, da Polícia Federal, sob suspeita de obstrução de justiça e desvio de recursos de programas de educação à distância, que envolvia outras gestões. Ele foi preso no dia 14 de setembro e liberado no dia seguinte, mas afastado de suas funções de reitor e impedido de entrar na UFSC por decisão judicial. Sempre negou envolvimento em qualquer irregularidade.

O suicídio de Cau Cancellier amplia a indignação de diversos setores da sociedade com os métodos de espetacularização da notícia com os quais órgãos policiais, do judiciário e a mídia vêm atuando nos últimos tempos, expondo pessoas à execração pública antes mesmo do direito de defesa e do devido julgamento – situação sempre combatida, repudiada e denunciada pelos sindicatos e pela Federação Nacional dos Jornalistas.

http://sjsc.org.br/02/10/2017/sjsc-e-fenaj-lamentam-morte-de-cau-cancellier/

IDEAL concede primeiro Selo Solar para o Ceará

O Instituto IDEAL concedeu quatro Selos Solares nesta semana para unidades que produzem energia fotovoltaica. A Pousada Nova Oasis do Rei, localizada em Aracati, foi a primeira do Ceará a receber a certificação. Um posto de combustível e uma fábrica de cuias, no Rio Grande do Sul, além de uma empresa de tecnologia do Mato Grosso do Sul, também receberam o Selo.

A Pousada Nova Oasis do Rei possui um sistema fotovoltaico de 6 kWp instalado desde novembro de 2016. “Optamos pela energia solar por dois motivos: porque ela é limpa e econômica. O Selo Solar mostra que estamos fazendo o certo”, afirmou o proprietário Aleksandro Oliveira do Nascimento. Atualmente, cerca de 30% da energia consumida é gerada no empreendimento. O objetivo é ampliar o sistema.

O IDEAL também concedeu o Selo Solar para um posto e uma indústria no Rio Grande do Sul. A Cuias Jadi, de Frederico Westphalen, possui um sistema de 9,1 kWp instalado desde janeiro deste ano. Já o posto São Paulo, de Giruá, tem um sistema de 35 kWp, que funciona desde fevereiro.

O outro Selo foi concedido para a Silis Tecnologia, localizada em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. A empresa, especializada no desenvolvimento de tecnologia fotovoltaica, possui um sistema de 6 kWp instalado desde outubro de 2016.

O Selo Solar é uma iniciativa do Instituto IDEAL com apoio do WWF-Brasil e Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da GIZ e KfW.

IDEAL organiza workshop do projeto “Bônus Fotovoltaico” para mais de 200 pessoas em Gaspar e Joinville

Mais de 200 pessoas participaram dos workshop do projeto “Bônus Fotovoltaico” realizados nas unidades do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) de Gaspar e de Joinville nos dias 29 e 30 de agosto. Os eventos organizados pelo IDEAL integram a iniciativa conjunta da Celesc, Programa de Eficiência Energética da ANEEL e Engie Energia que instalará, até o fim de novembro, mil (1.000) sistemas fotovoltaicos (FV) de 2,6 kWp em residências do estado com um subsídio de 60%. “Estudo recente mostra que em 2050 cerca de 40% da matriz energética mundial será solar. Santa Catarina, que é um polo importante nas pesquisas sobre o tema, está dando mais um passo para disseminar esta energia limpa e renovável”, afirmou o presidente do IDEAL, Mauro Passos.

Dessa forma, o custo dos equipamentos para o consumidor ficou em R$ 6,6 mil. De acordo com Marco Aurélio Gianesi, Gerente da Divisão de Pesquisa e Desenvolvimento e Eficiência Energética da CELESC, inicialmente, o payback previsto era de 3,6 anos. “Com o novo reajuste na tarifa de energia, no entanto, este payback será ainda menor”, afirmou Gianesi, um dos palestrantes dos eventos em Gaspar e Joinville. Além da CELESC, cada evento conta com um palestrante da Engie, responsável pela instalação dos sistemas FV. O engenheiro Roberto Heikiti YAO informou que as instalações iniciaram em abril e a previsão é de que terminem em novembro. Até final de agosto habiam sido realizadas 334.

Todo workshop do projeto também conta com uma palestra abordando aspectos mais técnicos, realizada por um representante do IDEAL. Em Gaspar, a palestra foi realizada pelo engenheiro Lucas Nascimento e, em Joinville, pelo engenheiro Trajano Viana, ambos do Centro de Pesquisa e Capacitação em Energia Solar (Grupo Fotovoltaica-UFSC). Além de Gaspar e Joinville, já ocorreram workshop em Florianópolis e Criciúma. Os mesmos eventos serão realizados em Chapecó e Lages no mês de outubro, em datas a confirmar. Assim, serão contempladas todas as regiões de Santa Catarina. Mais informações sobre o projeto podem ser encontradas no link http://bonusfotovoltaico.celesc.com.br/.