Posts

Histórias Solares: Casas para difundir a sustentabilidade

Conheça a história de dois proprietários de residências solares no interior do Paraná que buscam difundir a consciência ecológica, além de terem diminuído a conta de luz. Ambos obtiveram o Selo Solar neste mês e mostram como as residências podem ser usadas para difundir a importância da energia solar e das ideias sobre sustentabilidade. Bernardino e Euclides esperam levar estudantes das cidades de São Miguel do Iguaçu e Medianeira para conhecerem suas usinas solares.

O administrador Bernardino Crestani costumava ter curiosidade sobre as tecnologias solares. Após fazer um curso técnico em São Paulo, resolveu instalar um sistema fotovoltaico em sua casa, localizada em São Miguel do Iguaçu, para aliar economia na conta de luz e a promoção da sustentabilidade. “No começo eu era cético, mas depois percebi que poderia dar certo e conseguiria contribuir com a geração de energia limpa”, afirmou.

A conta de luz da sua casa ficava em torno de R$ 400, R$ 450 por mês. Após a instalação do sistema, cujo investimento foi de R$ 32 mil, aproximadamente, Bernardino reduziu em mais de 300 reais sua conta de luz. Isso porque a fatura ainda inclui taxa referente ao custo de disponibilidade, iluminação pública e o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). O Paraná é um dos cinco estados brasileiros que ainda persistem na cobrança do imposto sobre a autoprodução de energia renovável.

Bernardino quer difundir as ideias sobre a energia mais limpa usando o Selo Solar, que ele fixará em uma placa na frente de sua residência. Além disso, pretende fazer uma parceria com escolas e receber estudantes em sua casa para conhecerem o sistema fotovoltaico. “A gente percebe que a maioria das pessoas não sabe o que é energia solar. Muitos não sabem a diferença entre aquecimento de água e geração de energia solar. Penso que, começando pelas crianças, elas poderão levar a informação para os pais e ajudar a criar uma consciência ecológica”, disse.

Ideia semelhante tem o casal Marli Albertina Rosso e Euclides Walker, cuja casa em Medianeira também recebeu o Selo Solar nesta semana. Uma das metas do casal é levar estudantes para conhecerem o sistema. “O objetivo é difundir a ideia. Se falar de energia solar, poucos vão saber o que é. A ideia é despertar a consciência ecológica, mostrar que é possível”, disse o empresário Euclides Walker.

O empresário ainda espera trabalhar com energia fotovoltaica no futuro. Mas, enquanto isso não ocorre, optou por fazer um projeto na sua própria residência. O investimento foi de R$ 30 mil, fazendo com que a conta diminuísse entre 500 e 600 reais por mês, pagando agora cerca de R$ 100. Como no caso de Bernardino, parte deste valor vai para pagar o custo de disponibilidade, iluminação pública e ICMS.

O Selo Solar é uma iniciativa do Instituto IDEAL com apoio do WWF-Brasil e Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da GIZ e KfW.

Estudo: questionário será enviado este mês.

O questionário que servirá de base para o desenvolvimento da quarta edição do Estudo “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída Fotovoltaica – 2017”, uma iniciativa do Instituto IDEAL e AHK do Rio de Janeiro, será enviado este mês a mais de 1.000 fornecedores/fabricantes, instaladores e/ou projetistas de todas as regiões do país. Para responder, são necessários 15 minutos, em média, nenhum respondente poderá preencher mais de uma vez, e todos estão cadastrados no Banco de Fornecedores do Setor FV do América do Sol, o maior programa de disseminação da energia solar fotovoltaica do Brasil com vistas a todo o continente latino-americano.

A partir desta edição, além do apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável por meio da GIZ, o Instituto IDEAL também assegurou ao Estudo o apoio institucional da Agência Nacional de Energia Elétrica, a ANEEL. Já os patrocinadores confirmados até o momento são: Intersolar South America, Phb Solar e Sices Brasil, todos na categoria Ouro (limite de cotas esgotado). Para as demais categorias – Prata (R$ 10.000) e Bronze (R$ 5.000) – ainda há possibilidade de apoio. Clique aqui para saber mais.

O Estudo “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída Fotovoltaica” busca analisar ano a ano o desenvolvimento do mercado e identificar os desafios no processo de conexão à rede de micro e minigeradores fotovoltaicos, no âmbito da REN 482/2012 da ANEEL. Os resultados preliminares do Estudo serão conhecidos no 8° Seminário Energia + Limpa, que ocorrerá este ano nos dias 7 e 8 de junho, na Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), em Florianópolis.

“O Mercado Brasileiro de GDFV – 2016”: lançamento presencial e on line seguem linha inovadora da edição

A terceira edição do Estudo “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída Fotovoltaica – 2016”, uma iniciativa do Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (IDEAL) e da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha do Rio de Janeiro (AHK-RJ) foi lançado no último dia 25/10, no Centro de Pesquisa e Capacitação em Energia Solar da UFSC, cerimônia que foi simultaneamente transmitida on line em nosso canal do Youtube,  onde você a encontra na íntegra. O estudo completo para leitura também está disponível em www.institutoideal.org/biblioteca.

O coordenador do Grupo Fotovoltaica UFSC, professor Ricardo Rüther, anfitrião do evento, comentou a evolução do estudo e deu as boas-vindas aos presentes. Mauro Passos, presidente do IDEAL, destacou a importância das parcerias para a manutenção do trabalho de disseminação do conhecimento levado a cabo pelo Instituto. O gerente de projetos do IDEAL e GIZ, Peter Krenz, comentou sobre o surgimento do Estudo e a evolução do mesmo, com a parceria estabelecida com a AHK-RJ. Também saudou os convidados, Alcione Belache, diretor da Renovigi, patrocinadora ouro da edição 2016.

O ponto alto foi a apresentação dos principais resultados e conclusões do Estudo pela consultora do programa América do Sol, Taynara Miguelão. Um fato inconteste é a consolidação dos dados apresentados, tendo em conta o aumento no número de respondentes. Já os preços praticados no país por kWp para sistemas fotovoltaicos de até 5 kWp, apresentaram pouca variação nos últimos três anos, no entanto, o número médio de projetos executados pelas empresas instaladoras subiu para três em 2015.

Fruto de análises realizadas a partir de questionário enviado a mais de 1.000 empresas do setor fotovoltaico cadastradas no mapa do programa América do Sol, o estudo, pioneiro no país, tem ainda o importante papel de identificar os desafios a serem aprimorados no processo de conexão à rede de micro e minigeradores fotovoltaicos, no âmbito da Resolução Normativa 482 da ANEEL.

Os patrocinadores que viabilizaram a realização da edição 2016 do Estudo são: Engie Solar, Intersolar South America, Renovigi, SICES Brasil, DYA Energia Solar, PHB, EBES, Solar-e e WEG. Se você deseja ser um patrocinador da edição 2017, clique aqui e saiba como.

Intersolar South America: IDEAL foi destaque também em conferência

O Instituto IDEAL participou da feira e conferência da Intersolar South America de 23 a 25 de agosto, no Expo Center Norte, em São Paulo-SP. O diretor do IDEAL e coordenador do Grupo Fotovoltaica/UFSC, Ricardo Rüther, como chairman do evento, deu as boas vindas na abertura e participou do painel “Pesquisa & Desenvolvimento Fotovoltaico no Brasil: situação e perspectivas”. Paula Scheidt, gerente de projetos do IDEAL/GIZ, também lotou o auditório ao ministrar a palestra em que apresentou os resultados preliminares do estudo anual do Instituto “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída Fotovoltaica (FV) – Edição 2016”. Scheidt destacou tendências e aspectos do desenvolvimento do mercado FV como preços dos sistemas e de equipamentos.

No estande do IDEAL na feira, o público também teve acesso a essas e outras informações, além de conhecer as possibilidades de participar e apoiar a edição 2017 da pesquisa. Graças à parceria estabelecida entre IDEAL e Câmara Brasil-Alemanha do Rio de Janeiro (AHK-RJ), o Estudo deste ano também será traduzido ao inglês como a edição de 2015. O lançamento da publicação completa será em outubro de 2016.

Presidente do IDEAL participa de evento sobre renováveis no pavilhão da Alemanha

Mauro Passos, presidente do IDEAL, vai integrar o time de especialistas que discutirá os procedimentos para ter o próprio gerador fotovoltaico (FV) conectado à rede, o funcionamento do sistema de compensação de energia (net metering) e as capacitações disponíveis no Brasil para atuação profissional nesse setor. O evento ‘Ouro Solar’, gratuito e organizado pela Cooperação Brasil-Alemanha para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da GIZ, ocorrerá no dia 9 de setembro, às 17 horas, no Pavilhão OliAle, na praia do Leblon, no Rio de Janeiro. Para o painel foram convidados também representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e do Departamento Nacional do SENAI.

Como parte da programação do dia, também será apresentado o Simulador Solar, ferramenta integrante do programa do IDEAL, América do Sol, que permite a qualquer consumidor calcular as dimensões de um sistema FV conectado à rede para atender à demanda energética de sua edificação.

No dia 26 de agosto, a Cooperação Brasil Alemanha realiza também o evento ‘Olimpíadas de Projetos em Energias Sustentáveis’, no mesmo local, tendo como um dos destaques o lançamento do Mapa Solar do Rio de Janeiro. A ferramenta permite identificar o potencial de geração de eletricidade nos telhados da capital fluminense e é fruto de parceria entre o Governo do Estado do Rio de Janeiro, a Empresa de Planejamento Energético (EPE), o Instituto Pereira Passos e a GIZ.

Saiba mais sobre esses e outros eventos sobre o tema em www.institutoideal.org/eventos.

Foto: GK Rio de Janeiro

IDEAL na Intersolar South America

O Instituto IDEAL participará da feira e conferência da Intersolar South America  que ocorrem de 23 a 25 de agosto, no Expo Center Norte, em São Paulo-SP. O diretor do IDEAL e coordenador do Grupo Fotovoltaica/UFSC, Ricardo Rüther, dará as boas vindas na abertura do evento e participará também do painel “Pesquisa & Desenvolvimento Fotovoltaico no Brasil: situação e perspectivas”, que será realizado no dia 24/8, às 16 horas. Paula Scheidt, gerente de projetos do IDEAL/GIZ, integrará o Intersolar Study Program apresentando uma visão geral do mercado de energia solar no Brasil, no segundo dia da feira, a partir das 10 horas. É a primeira vez que este evento, gratuito e paralelo à conferência, é realizado no país. O propósito é reunir pelo menos 100 estudantes da Grande São Paulo.

Estudo “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída FV”

De forma inédita, os resultados preliminares do estudo anual do IDEAL “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída Fotovoltaica (FV) – Edição 2016” serão apresentados durante a conferência “Geração Distribuída – o impacto de novas diretrizes” (24/8, 14 horas), pela gerente de projetos do IDEAL/GIZ, Paula Scheidt. Nela, Paula destacará tendências e aspectos do desenvolvimento do mercado FV como preços dos sistemas e de equipamentos. Os dados foram fornecidos pelas empresas cadastradas no Mapa de Fornecedores do programa América do Sol, por meio questionário on line.

No estande do IDEAL na feira, o público também terá acesso a essas e outras informações, além de conhecer as possibilidades de participar e apoiar a edição 2017 do Estudo. Entre os respondentes da pesquisa, o IDEAL sorteou um ingresso gratuito para a conferência da Intersolar South America. A empresa vencedora foi a Solar dos Vales, do município de Coronel Fabriciano-MG. Para atender ao público internacional, o Estudo deste ano também será traduzido ao inglês como a edição de 2015 e graças à parceria estabelecida entre IDEAL e Câmara Brasil-Alemanha do Rio de Janeiro (AHK-RJ). O lançamento da publicação será em outubro de 2016. Os patrocinadores que viabilizaram a realização do Estudo este ano são: SICES Brasil, Renovigi, Engie Solar, Intersolar South America, PHB, EBES, DYA Energia Solar e WEG.

Especialistas apontam desafios para ganhar escala em geração distribuída no Brasil

Se em 2015 o perfil do Seminário Energia + Limpa foi mais técnico e conceitual para debater as alternativas e desafios do setor energético como um todo, a 7ª edição do evento, promovida pelo Instituto Ideal e Universidade Federal de Santa Catarina, ganhou uma abordagem mais prática. Essa foi a conclusão do presidente do Instituto, Mauro Passos, após a realização de dois painéis e de um workshop com especialistas nacionais para discutir caminhos para a popularização da geração distribuída. “A pauta das energias alternativas é relevante não só para o Brasil, mas para o mundo todo. Especificamente aqui, a expansão do mercado passa pela conquista de maior escala que torne o cenário mais competitivo”, observou Passos.

Diante de um público de mais de 200 pessoas, entre estudantes, pesquisadores e empresários do setor, o secretário executivo da Organização Latino-Americana de Energia (OLADE), Fernando Ferreira, alertou: há aproximadamente 30 milhões de pessoas sem acesso à energia na região da América Latina e Caribe. Para Ferreira, trata-se, portanto, de uma oportunidade valiosa para a expansão do mercado das energias alternativas. “Essa modalidade passou a ser não só um negócio sustentável ou ecologicamente correto, mas principalmente vantajoso financeiramente. Promover um espaço de debate e de troca de conhecimentos e experiências, como neste Seminário, é muito importante para disseminar essa cultura”, afirmou.

A abertura do evento contou ainda com a participação do deputado estadual Dirceu Dresch (PT), representando a Assembléia Legislativa do Estado de Santa Catarina e de representantes da Engie Solar, Caixa, Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e Quantum Engenharia, patrocinadores do encontro. Também estivam representadas as demais entidades apoiadoras: CELESC, WWF Brasil, Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável por meio da GIZ, e FIESC.

Incentivos à mobilização

Na ocasião, o presidente do Ideal e o coordenador de Mudanças Climáticas e Energia do WWF-Brasil, André Nahur, assinaram um acordo para reforçar a parceria entre as duas entidades para a continuidade do projeto Selo Solar. Segundo a gerente de projetos do Ideal, Paula Scheidt, as novas diretrizes do selo, que certifica e reconhece empresas, residências e instituições públicas e privadas que investem em eletricidade solar, devem ser apresentadas ainda em julho deste ano.

Os participantes do Seminário puderam conhecer ainda, em primeira mão, o vídeo institucional do América do Sol, maior programa de disseminação da energia solar fotovoltaica no Brasil. O audiovisual é uma realização do cineasta socioambiental Todd Southgate e da jornalista Andressa Braun, assessora de comunicação do IDEAL. O filme tem versões legendadas ao espanhol e ao inglês, e conta com o apoio da Eletrosul Eletrobrás, Organização Latino-Americana de Energia (OLADE) e Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Assista aqui.

Inspirar pelo exemplo

Destinado a apontar caminhos para a popularização da geração distribuída no setor empresarial, o primeiro painel do evento foi mediado por Mauro Passos e contou com a participação do presidente da Câmara de Energia da FIESC, Otmar Josef Müller; do gerente de planejamento do BRDE, Felipe de Castro Couto; e do presidente da Engie Solar, Rodolfo de Sousa Pinto. Müller destacou que a disseminação das energias renováveis é uma pauta importante para a indústria catarinense pelo ganho de competitividade que pode ser gerado, e indicou a expansão de linhas de crédito e isenção do ICMS como uma das principais bandeiras da entidade, neste contexto.

Neste painel, também foram apresentadas as linhas de financiamento disponíveis para projetos de geração distribuída e desafios de disseminação. O presidente da Engie Energia apresentou um histórico da evolução da energia solar no Brasil e destacou que focar no público alvo é fundamental para impulsionar as instalações, tanto no mercado privado, como no setor empresarial. “Há diferentes modalidades de conexão à rede de distribuição. É preciso gerar entendimento sobre isso, para que o investimento seja cada vez mais vantajoso. Necessitamos, contudo, que os pequenos usuários tenham condições tão favoráveis quanto os grandes empreendimentos”, disse.

O segundo painel, focado na popularização da geração distribuída nas cidades e mediado pelo Coordenador de Mudanças Climáticas e Energia do WWF-Brasil, André Nahur, reuniu o especialista em Regulação da ANEEL, Marco Aurélio Lenzi Castro; o assessor de Captação de Recursos do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Daniel Chang; a assistente de Projeto da Confederação Alemã das Cooperativas (DGRV), Camila Japp; e o analista de Gerência Técnica da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Marco Olívio Morato de Oliveira.

Castro apresentou as principais mudanças da Resolução Normativa nº 482/2012 que criou o Sistema de Compensação de Energia Elétrica. “A disseminação da geração distribuída é, sem dúvidas, um movimento de baixo para cima, em que a iniciativa privada deve buscar seu protagonismo sem depender apenas do governo”, salientou. Entre os pontos destacados pelo representante do MCTI, estão os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), proposta aprovada pela ONU, em setembro de 2015, como uma espécie de evolução dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM); e que traz a energia limpa e acessível como uma meta.

O potencial das cooperativas como consumidoras e também produtoras de energias renováveis foi consenso entre os representantes da DGRV e da OCB. Para Camila, o modelo de negócio característico das cooperativas favorece não só o desenvolvimento regional, mas principalmente o empoderamento dos cidadãos, aspecto fundamental para a popularização do fomento às renováveis. Segundo Oliveira, no contexto brasileiro, o custo dos equipamentos, a escassez de mão de obra qualificada, a oscilação do mercado e a falta de cultura de investimento em projetos de longo prazo são alguns dos desafios deste processo de expansão do setor.

Workshops

A realização de workshops foi uma das novidades desta 7ª edição do Seminário Energia + Limpa. Com moderação do professor Ricardo Rüther, a primeira parte da atividade focou em normais técnicas e procedimentos. Marco Aurélio Lenzi Castro apresentou um passo a passo para ter um sistema FV conectado à rede; e o engenheiro da Celesc Thiago de Oliveira Cassel indicou os padrões de conexão da distribuidora. Já o engenheiro Ruy Tiedje, da Quantum Engenharia, fez um comparativo da evolução da geração distribuída em diferentes regiões do país e salientou que conquistar a confiança do consumidor é um dos principais desafios para a expansão deste mercado. “É fundamental investir nos processos de pós-venda, promovendo maior diálogo entre consumidores, concessionárias e distribuidora, principalmente para acompanhar a alteração do perfil de consumo após a instalação do sistema de geração.”

A última etapa do workshop trouxe para a pauta um dos temas mais palpitantes, quando o assunto é a popularização da geração distribuída: o retorno financeiro sobre o investimento. O CEO da Solar Energy do Brasil, Hewerton Martins, afirmou que é preciso consolidar um processo educacional para que os consumidores se tornem geradores da sua própria energia, o que passa por aspectos como a percepção do consumidor em relação à conta de luz e ao conceito do autoconsumo. Já o diretor de Negócios da Sicoob Ecocredi, João Corrêa Júnior, compartilhou a experiência na construção da nova sede administrativa da cooperativa, localizada em Três Coroas/RS. A construção se destaca pelo sistema de geração de energia. A edificação conta com 184 placas fotovoltaicas, em 10 arranjos, que devem gerar, em média, 69.030 kWh/ano, para atender 50% da demanda de energia no local. O investimento foi em torno de R$ 300 mil e o prazo de retorno é de oito anos, em média.

IDEAL lança novo site do programa América do Sol

O Instituto IDEAL lançou hoje (27/4) o novo site do América do Sol, o maior programa de disseminação do conhecimento em energia solar fotovoltaica do país, criado em 2010, com o propósito de transformar a América Latina no continente da energia solar. As reformulações de design e da hierarquia da informação tiveram em conta aspectos de usabilidade e legibilidade, tudo para tornar a navegação mais eficiente e cômoda. Além disso, o programa ganhou uma nova identidade visual, mais alinhada com o Instituto e com os objetivos e abrangência do América do Sol.

Desde sua criação, o programa é executado com o apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH e do KfW banco de fomento alemão, e do Grupo Fotovoltaica UFSC. A reformulação do website também teve o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Organização Latino-Americana de Energia (OLADE).

O novo site foi desenvolvido em plataforma inteligente e adaptável ao monitor e ao idioma de navegação do usuário. Ferramentas como o Mapa de Empresas do Setor FV e o Simulador Solar  também foram reformulados para trazer mais clareza à forma como as informações são apresentadas ao leitor. Além da atualização de todo o conteúdo, a principal inovação foi a divisão do conteúdo em duas grandes áreas: uma destinada aos usuários que buscam conhecimento sobre energia fotovoltaica e outra para aqueles que procuram informações sobre os projetos e ferramentas do programa.

O projeto de reformulação completa do site do América do Sol foi realizado por equipe multidisciplinar, ao longo de seis meses, coordenado pela gerente de projetos do IDEAL, Paula Scheidt, com apoio do cooperante Peter Krenz e da assessora de comunicação, Andressa Braun. A nova identidade visual do programa foi realizada pela designer Andrezza Nascimento e a programação e indexação de conteúdos pela InCuca Tecnologia.

Nove anos disseminando conhecimento e acreditando – Por Mauro Passos, presidente do Instituto Ideal

No último dia 12 de fevereiro, o IDEAL completou nove anos de fundação e de luta por uma matriz energética mais limpa no Brasil – que por si só já tem proporções continentais – e em toda a América Latina, missão que levamos no nome e na ação: Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina. Em quase uma década de atividades, nos sentimos ainda mais motivados e capazes de levar aos nossos vizinhos, as experiências exitosas que nos trouxeram até aqui, sobretudo no âmbito do programa América do Sol, de disseminação do uso da energia solar fotovoltaica, e do Seminário Energia + Limpa, que este ano está na 7ª edição. Enche-nos de orgulho saber que este evento é uma referência no tema de renováveis em todo o país e que as discussões provocadas por ocasião do Seminário, reverberam por muito tempo naqueles que participam efetivamente e/ou acompanham as repercussões a posterior, além e, principalmente, de incitar à ação.

O planeta não pode esperar, as mudanças climáticas são uma realidade e devem ser enfrentadas com a coragem da relevância que representam, freando o avanço irresponsável do uso de fontes energéticas fósseis. Passados nove anos, sem contabilizar minhas décadas de militância política neste sentido, sabemos que é possível, que há alternativa e que, além de sustentáveis, comprometidas, as fontes renováveis de energia – solar fotovoltaica, eólica, biogás, hidráulica, entre outras – tornam-se, dia após dia, também mais viáveis economicamente. Em um país com a irradiação do nosso e com a possibilidade de gerar energia no local do consumo, conectando o sistema à rede (surgida com o net metering, regulamentada pela RN 482 da ANEEL); seguimos cumprindo nossa missão ao capilarizar este conhecimento a uma escala sem precedentes, afinal, o consumidor precisa conhecer, para tomar a decisão de investir.

Neste tempo, distribuímos mais de 100 mil cartilhas educativas sobre energia eólica, eletricidade solar e microgeradores fotovoltaicos, e reunimos, em uma ferramenta que chamamos banco de fornecedores, mais de 900 fornecedores e instaladores de sistemas FV de todo o país. Realizamos estudo sobre o mercado de geração distribuída no país e organizamos, nesta última edição em parceria com o Organização Latino-Americana de Energia (OLADE), o concurso Eco_Lógicas. Entre as perspectivas para um futuro próximo, estão os lançamentos do novo portal do América do Sol e do vídeo do programa, produzido por nosso parceiro, reconhecido videomaker meio-ambiental e diretor do premiado Desculpe pelo Transtorno – a História do Bar do Chico, Todd Southgate. Também é mais que merecedora de crédito, as parcerias que apenas começam a colher frutos, com o Cinesolar e com o Teatro a Bordo, que levam nosso material a crianças e adultos das regiões mais distantes e, algumas vezes, inóspitas do país. Tudo, de forma sustentável (a energia das instalações é gerada no próprio local de consumo por meio de placas FV), reunindo conhecimento e cultura.

Dar seguimento à nossa missão, buscando sempre fazer mais e melhor, dentro dos limites de nossa ‘força’ de trabalho – que é altamente qualificada, mas bastante enxuta – é inerente ao alto nível de comprometimento que estabelecemos com as pessoas com as quais nos relacionamos ao longo destes nove anos. Agradecemos aos parceiros de maneira geral, mas não menos afetuosa. A saber, alguns deles sem os quais não seria possível fazer o que fizemos ao longo de nossa existência: Grupo Fotovoltaica UFSC, Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável por meio da GIZ e KfW, Eletrobras Eletrosul, Tractebel, Olade, GSL e BID. E que o sol siga sendo fonte inesgotável de energia também em nossas vidas, assim como os bons ventos, que continuem nos levando ao encontro de nossos sonhos. Obrigad@ e parabéns, IDEAL!

Ideal firma parceria com WWF-Brasil

Na última semana, o presidente do Instituto Ideal, Mauro Passos, e o superintendente do WWF-Brasil, Mário Barroso, oficializaram parceria de trabalho para a promoção da energia solar fotovoltaica em larga escala no Brasil, ao assinarem carta de projeto em Brasília (DF), no escritório da instituição. “Mais do que uma parceria de futuro, esta é uma parceria presente porque agrega a experiência do Ideal na promoção da energia solar FV à importância internacional do WWF-Brasil”, declara Passos. Como forma de incentivar esse mercado, será realizada uma campanha de comunicação que lançará ao país o desafio de atingir 10 GW de energia FV instalada até 2025.
Barroso (WWF-Brasil) ressaltou a importância de se trabalhar em rede para alcançar melhores resultados. “Da mesma forma que a geração de energia de forma descentralizada potencializa a matriz elétrica brasileira, a atuação em conjunto, tal como a parceria com o Ideal, amplifica o alcance de nossas ações e traz melhores resultados.” Passos reconhece a importância do acordo em função dos compromissos históricos que as duas instituições têm em relação a mudanças climáticas e energia.

Além da campanha de divulgação da energia solar FV no âmbito do programa do Ideal América do Sol, a parceria prevê a realização de estudos sobre linhas de financiamento e o aprimoramento das diretrizes do Selo Solar, concedido pelo Instituto e Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).