Posts

Indústria no RS produz cuias com energia do sol

Fábrica Cuias Jadi, de Frederico Westphalen (RS), produz cuias com o uso de energia solar e espera um retorno de investimento em cinco anos.

As cuias de chimarrão da fábrica Cuias Jadi, de Frederico Westphalen (RS), são comercializadas principalmente no Sul do Brasil, mas também são vendidas no exterior, em países como Argentina, Estados Unidos, Canadá e Alemanha. E, desde outubro de 2017, os produtos possuem um diferencial: o Selo Solar. “É um reconhecimento do nosso trabalho que chega inclusive a outros países. Estamos muito contentes”, afirmou Valéria Ciocari Trevisol, proprietária da empresa junto com o marido Jadir Trevisol.

O fato de produzir sua própria energia, de forma sustentável, e, assim, ter um diferencial comercial, foi um dos motivos que levou os proprietários a investir na energia solar. Mas o que mais pesou mesmo foi a possibilidade de retorno econômico, mais uma prova de que os custos para a implementação desta forma de energia estão caindo.

Segundo Valéria, a empresa tinha capital de giro para investir na tecnologia, mas optou por manter estes recursos em caixa e fazer um financiamento no banco Sicredi. Tudo foi intermediado pela Marsol Energia, uma empresa da cidade. “O custo inicial era alto, mas vimos que teria retorno com o tempo e decidimos investir. Estávamos visualizando o futuro”, contou.

O custo do sistema, com potência de 9,1 kWp, foi de R$ 62 mil, financiado em três anos. A conta de energia, que era de cerca de 800 a 1000 reais por mês, passou para aproximadamente 140, 200 reais. “Teremos o retorno em cinco anos. E, como o sistema tem uma vida útil de no mínimo 25 anos, teremos pelo menos 20 anos de lucro pela frente”, avaliou Valéria.

O Selo Solar é uma iniciativa do Instituto IDEAL com apoio do WWF-Brasil e Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da GIZ e KfW.

IDEAL concede primeiro Selo Solar para o Ceará

O Instituto IDEAL concedeu quatro Selos Solares nesta semana para unidades que produzem energia fotovoltaica. A Pousada Nova Oasis do Rei, localizada em Aracati, foi a primeira do Ceará a receber a certificação. Um posto de combustível e uma fábrica de cuias, no Rio Grande do Sul, além de uma empresa de tecnologia do Mato Grosso do Sul, também receberam o Selo.

A Pousada Nova Oasis do Rei possui um sistema fotovoltaico de 6 kWp instalado desde novembro de 2016. “Optamos pela energia solar por dois motivos: porque ela é limpa e econômica. O Selo Solar mostra que estamos fazendo o certo”, afirmou o proprietário Aleksandro Oliveira do Nascimento. Atualmente, cerca de 30% da energia consumida é gerada no empreendimento. O objetivo é ampliar o sistema.

O IDEAL também concedeu o Selo Solar para um posto e uma indústria no Rio Grande do Sul. A Cuias Jadi, de Frederico Westphalen, possui um sistema de 9,1 kWp instalado desde janeiro deste ano. Já o posto São Paulo, de Giruá, tem um sistema de 35 kWp, que funciona desde fevereiro.

O outro Selo foi concedido para a Silis Tecnologia, localizada em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. A empresa, especializada no desenvolvimento de tecnologia fotovoltaica, possui um sistema de 6 kWp instalado desde outubro de 2016.

O Selo Solar é uma iniciativa do Instituto IDEAL com apoio do WWF-Brasil e Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da GIZ e KfW.