Posts

Nove anos disseminando conhecimento e acreditando – Por Mauro Passos, presidente do Instituto Ideal

No último dia 12 de fevereiro, o IDEAL completou nove anos de fundação e de luta por uma matriz energética mais limpa no Brasil – que por si só já tem proporções continentais – e em toda a América Latina, missão que levamos no nome e na ação: Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina. Em quase uma década de atividades, nos sentimos ainda mais motivados e capazes de levar aos nossos vizinhos, as experiências exitosas que nos trouxeram até aqui, sobretudo no âmbito do programa América do Sol, de disseminação do uso da energia solar fotovoltaica, e do Seminário Energia + Limpa, que este ano está na 7ª edição. Enche-nos de orgulho saber que este evento é uma referência no tema de renováveis em todo o país e que as discussões provocadas por ocasião do Seminário, reverberam por muito tempo naqueles que participam efetivamente e/ou acompanham as repercussões a posterior, além e, principalmente, de incitar à ação.

O planeta não pode esperar, as mudanças climáticas são uma realidade e devem ser enfrentadas com a coragem da relevância que representam, freando o avanço irresponsável do uso de fontes energéticas fósseis. Passados nove anos, sem contabilizar minhas décadas de militância política neste sentido, sabemos que é possível, que há alternativa e que, além de sustentáveis, comprometidas, as fontes renováveis de energia – solar fotovoltaica, eólica, biogás, hidráulica, entre outras – tornam-se, dia após dia, também mais viáveis economicamente. Em um país com a irradiação do nosso e com a possibilidade de gerar energia no local do consumo, conectando o sistema à rede (surgida com o net metering, regulamentada pela RN 482 da ANEEL); seguimos cumprindo nossa missão ao capilarizar este conhecimento a uma escala sem precedentes, afinal, o consumidor precisa conhecer, para tomar a decisão de investir.

Neste tempo, distribuímos mais de 100 mil cartilhas educativas sobre energia eólica, eletricidade solar e microgeradores fotovoltaicos, e reunimos, em uma ferramenta que chamamos banco de fornecedores, mais de 900 fornecedores e instaladores de sistemas FV de todo o país. Realizamos estudo sobre o mercado de geração distribuída no país e organizamos, nesta última edição em parceria com o Organização Latino-Americana de Energia (OLADE), o concurso Eco_Lógicas. Entre as perspectivas para um futuro próximo, estão os lançamentos do novo portal do América do Sol e do vídeo do programa, produzido por nosso parceiro, reconhecido videomaker meio-ambiental e diretor do premiado Desculpe pelo Transtorno – a História do Bar do Chico, Todd Southgate. Também é mais que merecedora de crédito, as parcerias que apenas começam a colher frutos, com o Cinesolar e com o Teatro a Bordo, que levam nosso material a crianças e adultos das regiões mais distantes e, algumas vezes, inóspitas do país. Tudo, de forma sustentável (a energia das instalações é gerada no próprio local de consumo por meio de placas FV), reunindo conhecimento e cultura.

Dar seguimento à nossa missão, buscando sempre fazer mais e melhor, dentro dos limites de nossa ‘força’ de trabalho – que é altamente qualificada, mas bastante enxuta – é inerente ao alto nível de comprometimento que estabelecemos com as pessoas com as quais nos relacionamos ao longo destes nove anos. Agradecemos aos parceiros de maneira geral, mas não menos afetuosa. A saber, alguns deles sem os quais não seria possível fazer o que fizemos ao longo de nossa existência: Grupo Fotovoltaica UFSC, Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável por meio da GIZ e KfW, Eletrobras Eletrosul, Tractebel, Olade, GSL e BID. E que o sol siga sendo fonte inesgotável de energia também em nossas vidas, assim como os bons ventos, que continuem nos levando ao encontro de nossos sonhos. Obrigad@ e parabéns, IDEAL!

Ideal lança cartilha de microgeradores eólicos

O Instituto Ideal lança a cartilha “Como faço para ter energia eólica em minha casa?” neste dia 2 de dezembro. O lançamento ocorre durante o Encontro de Negócios da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), em São Paulo. A cartilha inédita informa sobre tipos de microgeradores eólicos e traz um passo a passo com os procedimentos para a conexão à rede de equipamentos instalados em residências ou comércios.

::::::::  CONFIRA O GUIA DE MICROGERADORES EÓLICOS

Com ilustrações didáticas e linguagem simples, o material pretende esclarecer e incentivar o uso de eólica, tirando dúvidas também sobre o sistema de compensação de energia, em vigor desde a resolução 482 da Aneel, de 2012. A gerente de projetos do Ideal e autora da cartilha, Paula Scheidt, acredita que o guia será uma ferramenta importante na popularização dessa energia renovável.

“Já trabalhamos com o tema solar e agora queremos ajudar os consumidores que querem investir em um sistema eólico a escolherem a melhor opção para sua demanda energética”, explica.

A cartilha online pode ser conferida gratuitamente no site do Ideal. Instaladores poderão solicitar a versão impressa do material via formulário disponibilizado no site do Ideal a partir de janeiro de 2015. O guia de microgeradores eólicos foi produzido pelo Ideal, com o apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH.

Além disso, o material conta com o apoio institucional da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), da ABEEólica, do Instituto Senai de Tecnologia – Energias Renováveis, do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

capa - cartilha eólica

Os primeiros exemplares impressos da cartilha serão entregues durante o 3º de Negócios da ABEEólica, que reunirá representantes da indústria, de fornecedores de serviços e produtos do setor, com o objetivo de promover discussões em torno da cadeia produtiva e propiciar um ambiente de negócios. As inscrições para o evento estão abertas e são gratuitas para os associados. Quem não é associado precisa pagar uma taxa.

Confira a programação completa e outras informações sobre o evento no site da ABEEólica.


Outros materiais educativos do Ideal

O Instituto Ideal, organização sem fins lucrativos voltado para as energias alternativas, já produziu outras duas cartilhas, que tinham como foco a energia solar fotovoltaica. Os materiais ficaram conhecidos por seu caráter educativo, auxiliando na divulgação das renováveis. O guia de microgeradores fotovoltaicos, por exemplo, produzido em 2013, foi distribuído para empresas e instituições de ensino de todo o país. No total, já foram entregues 60 mil exemplares.

As cartilhas sobre fotovoltaica podem ser conferidas no site do América do Sol.

Outras informações:
Gabrielle Bittelbrun
Assessora de Comunicação
Instituto Ideal
(48) 3234-1757

Mauro Passos participa de encontro da CNI

A participação do presidente do Instituto Ideal, Mauro Passos, na reunião do Conselho de Política Industrial da CNI, em Brasília, foi destaque na coluna de Estela Benetti, do Diário Catarinense, nesta quarta-feira (23 de julho). A nota também foi publicada no blog da colunista.

Mauro apresenta na CNI um panorama sobre as renováveis no país e no mundo, visando à possibilidade de empresas instalarem usinas solares ou aerogeradores.

:::: Confira a nota na íntegra no blog da colunista Estela Benetti.

Ideal firma acordo para Centro de Eólica

A cidade de Rio Grande (RS) dá um passo importante para a produção de energia a partir do vento. Na sexta-feira (14 de março), foi assinado um protocolo para a criação do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Energia Eólica do Sul (CPDEO-Sul) pela prefeitura do município, o Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (Ideal), a Eletrosul, o Sindicato da Indústria de Energia Eólica do Rio Grande do Sul (Sindieólica- RS) e as universidades federais de Rio Grande (Furg), Pelotas (UFPel) e Santa Maria (UFSM).

Com o acordo, instituições públicas e privadas, juntamente com o poder público, pretendem alcançar conhecimento e formar mão de obra qualificada na área de energia eólica. O Rio Grande do Sul vem se destacando no setor, com a aposta em Parques Eólicos como de Geribatu, em Santa Vitória do Palmar.

Para o presidente do Ideal, Mauro Passos, a assinatura do protocolo vai reforçar o papel do Estado não só como usuário do vento, mas como conhecedor de suas potencialidades energéticas.

O Ideal foi fundamental para a criação do Centro, contribuindo com a ideia inicial e despertando o interesse entre os diversos setores para a questão.

“Foram quase dois anos de tratativas com o poder público, com o mundo acadêmico e investidores em energia eólica. Conseguimos unir e comprometer os diferentes setores ao se criar o CPDEO-Sul. Abrem-se as possibilidades de desenvolvermos tecnologias próprias”, afirma Passos.

O protocolo foi assinado durante a Feira do Polo Naval em Rio Grande, pelo prefeito da cidade, Alexandre Lindenmeyer, o presidente das Fundações de Apoio da UFPel, Cristiano Pinheiro, o professor da UFSM Humberto Pinheiro, o diretor financeiro da Eletrosul, Antônio Vitori, e o diretor da Sindieólica/RS, Guilherme Sari.

(Crédito da foto: Marcos Jatahy)

:::::: Confira reportagem da Webrádio Água sobre o CPDEO-Sul.

Artigo: Rio Grande e a energia eólica

Confira o artigo, sobre energia eólica, do presidente do Ideal, Mauro Passos, publicado na edição de quinta-feira (13) do jornal gaúcho Agora:

Rio Grande sempre conviveu com o vento. Não é por acaso que somos conhecidos por “papa areia”, em referência ao movimento natural da areia com o vento frequente na cidade. Mesmo aqueles que não são de lá já sentiram na pele o vento na Praia do Cassino ou na esquina do Banco do Brasil. Faz um bom tempo que saí de Rio Grande, mas sempre soube que os ventos continuam soprando por lá. Agora, são os bons ventos que produzem energia, trazem emprego e renda. Essa nova realidade nos faz pensar para frente.

O processo de transformação do vento em energia é muito antigo. Desde o século XVIII, na Holanda, os moinhos já mostravam o caminho. O tempo foi longo até as novas tecnologias serem incorporadas, chegando-se aos aerogeradores de hoje.

Foi na década de oitenta que a VESTAS, uma empresa dinamarquesa deu o salto tecnológico do moinho para o aerogerador. Graças ao seu pioneirismo, a VESTAS foi líder do setor até a entrada da China no mercado de energia eólica. Com a chegada dos parques eólicos na região sul do Rio Grande do Sul – que vão de Osório até o Chuí -, logo me veio a certeza de que além de gerar energia os ventos deviam deixar outros benefícios na região.

A primeira coisa que me ocorreu foi de trazer conhecimento. Tanto na formação de mão de obra qualificada, como em pesquisa e desenvolvimento. No final de 2012, apresentei o projeto de um centro de referência e de um laboratório a céu aberto ao então candidato e atual prefeito, Alexandre Lindenmeyer.

De lá para cá, foram inúmeras reuniões envolvendo outros setores ligados à academia e à indústria eólica. No ano passado, firmamos um Termo de Cooperação com Prefeitura, FURG, Sindicato da Indústria Eólica do Rio Grande do Sul, Eletrobras/Eletrosul e o Instituto Ideal. Todos convencidos da importância do vento além de trazer a energia deixar também o conhecimento e a capacitação. E “por que Rio Grande?”, pode alguém perguntar.

A logística da cidade, com boa universidade, sendo polo metal mecânico, com porto e localização estratégica no Mercosul, fazem dela o lugar certo. Por isso, como não poderia deixar de ser, nesta sexta-feira (14), durante a Feira do Polo Naval, voltamos a nos reunir e avançar no processo de consolidação de um projeto pioneiro e futurista – um centro de formação e desenvolvimento tecnológico em energia eólica em Rio Grande, cidade de bons ventos.

(Foto: Mauro Passos (esq), do Ideal, e Ronaldo Custódio, da Eletrosul, visitam as obras do parque eólico Geribatu (RS)/ Divulgação Eletrosul)