Posts

Visita técnica do 8° Seminário Energia + Limpa reúne, na prática, ‘mobilidade e energia do futuro’

O transporte para a visita técnica ao Centro de Pesquisa e Capacitação em Energia Solar da UFSC (Grupo Fotovoltaica-UFSC), localizado no Sapiens Parque, região Norte de Florianópolis, foi feito por um ônibus que pode resumir os dois temas mais importantes do 8º Seminário Energia + Limpa: o veículo é elétrico e movido a energia solar, o primeiro do Brasil com essa característica.

A visita técnica, realizada no terceiro dia do evento, 9 de junho, foi dividida em dois grupos, um pela manhã e outro pela tarde. E começou no próprio ônibus, resultado das pesquisas do Grupo Fotovoltaica-UFSC, coordenado pelo professor e diretor do IDEAL, Ricardo Rüther. Os participantes do evento, ao embarcarem no veículo, já se mostraram interessados: “tem mesa”; “tem carregador de celular”, “tem entrada para USB”, “o ônibus não faz barulho”. Ao longo do percurso, o pesquisador Pedro Henrique Alves Veríssimo explicou outros detalhes sobre o veículo.

Pedro enfatizou que o ônibus não possui painéis solares, como podem pensar alguns, mas baterias acopladas na sua parte superior. Elas são carregadas justamente pelos módulos solares instalados nos prédios do Grupo Fotovoltaica-UFSC, por este motivo é movido à energia solar. Possui uma autonomia de 70 km, suficiente para fazer o trajeto (ida e volta) de 52 km entre a UFSC, na região central de Florianópolis, e o Sapiens Park, no norte da Ilha.

Ao chegar ao Grupo Fotovoltaica-UFSC, o ônibus passou a ser carregado, o que leva cerca de uma hora e 20 minutos. Os participantes da visita, então, começaram a conhecer o centro e suas tecnologias. Uma das primeiras atrações foi o Twiz, um pequeno carro elétrico com dois lugares que foi doado pelo projeto da Itaipu e estava em exposição. O veículo, inclusive, havia sido citado diversas vezes nas palestras anteriores.

O Centro de Pesquisa e Capacitação em Energia Solar da UFSC possui três sistemas fotovoltaicos instalados em seus prédios, com tecnologias diferentes, como a BIPV, cujos painéis são separados da estrutura, e o BAPV, que é integrado a ela. Ao todo, os sistemas possuem uma capacidade instalada de cerca de 100 kWp. “É produzida mais energia do que é consumida, e o excedente é enviado à rede. Como o Centro e a UFSC estão no mesmo CNPJ, uma pequena parte da conta da UFSC é abatida”, contou Veríssimo. Além, é claro, de a energia ser usada no ônibus.

Uma série de tecnologias de painéis solares também foi mostrada aos participantes e as dúvidas eram a respeito das principais características de cada uma, pontos fortes e fracos, eficiência, valores. Os visitantes também puderam conhecer os locais onde são realizadas as capacitações, que simulam tanto operações no solo como em telhados.

Na vanguarda dos debates meio-ambientais, IDEAL discute mobilidade sustentável na 8ª edição do Seminário Energia + Limpa

Os seminários Energia + Limpa, promovidos pelo Instituto IDEAL, costumam estar na vanguarda e olhar para o futuro. No ano passado, por exemplo, o evento buscou responder à pergunta ‘como popularizar a geração distribuída?’, mercado cada vez mais consolidado no Brasil. Neste ano, o IDEAL focou na mobilidade urbana sustentável, tema que já é realidade em muitos países, mas que ainda precisa se desenvolver e ganhar espaço e apoio político para crescer no Brasil. Com abertura na quarta-feira (07/6) e encerramento na sexta-feira (09/6) com visita técnica ao Centro de Pesquisa e Capacitação em Energia Solar da UFSC (Fotovoltaica-UFSC), e transporte a bordo do primeiro ônibus elétrico movido à energia solar do Brasil; o evento reuniu cerca de 200 pessoas de diferentes locais e nacionalidades, com destaque para participação do palestrante Gualter Crisóstomo, diretor de sustentabilidade do Centro de Engenharia e Inovação com sede em Lisboa, o CEiiA.

Na mesa de boas-vindas, o presidente do IDEAL, Mauro Passos, lembrou que o Instituto completou 10 anos e ressaltou as mudanças positivas na área de energias renováveis, como o dado da ANEEL de mais de 10 mil painéis solares instalados no país. Depois ‘olhou para o futuro’ ao perguntar: “Quais os desafios para os próximos 10 anos? É uma grande questão. As placas solares vão estar consolidadas e não tenho dúvida de que a grande questão será mobilidade elétrica e sustentável”.

A mobilidade elétrica é uma realidade em países como Portugal. Crisóstomo, diretor do CeiiA, relatou a experiência daquele país. A partir de 2008, tiveram início estudos e políticas públicas para criação de projetos de infraestrutura. Hoje, por exemplo, cada cidade de Portugal possui um eletroposto. “Portugal posicionou-se como uma referência em nível internacional. Hoje, todos que pensam e pesquisam sobre o tema querem estar lá. É o mais avançado em políticas e em legislação para o tema”, afirmou.

Mas também existem exemplos no Brasil. Isso ficou claro no painel ‘Mobilidade Elétrica’, mediado pelo professor Ricardo Rüther, coordenador do Grupo Fotovoltaica-UFSC e diretor do IDEAL. O próprio grupo, por exemplo, desenvolveu o primeiro ônibus elétrico movido a energia solar no país. Outra iniciativa nacional é o Curitiba Ecoelétrico, cuja experiência foi relatada por Mirian Gonçalves, do Instituto Direito e Democracia, ex vice-prefeita daquela cidade. São 10 carros e um microônibus que circulam na capital paranaense, sendo abastecidos por oito eletropostos.

“Verificamos que o mais importante não era o carro elétrico, mas o serviço prestado. Podíamos ver onde estavam os carros e quanto de CO2 economizavam. Tudo de forma online”, contou. Fizeram parte da mesa também Margaret Groff, Board Advisor da iCities e Conselheira do MEX Brasil; Cesare Quinteiro Pica, Diretor do Centro de Energia Sustentável da Fundação CERTI; e Arthur Bianchini, do grupo Ampera Racing.

Além de mobilidade elétrica sustentável, a geração distribuída com foco na energia solar fotovoltaica não ficou de fora do debate. Foram apresentados dados preliminares do estudo “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída Fotovoltaica – 2017”, uma iniciativa do IDEAL e da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha no Rio de Janeiro (AHK-RJ). Responderam à pesquisa, representantes de mais de 350 empresas – entre instaladores, fornecedores e projetistas para energia solar FV – cadastradas no Mapa de Fornecedores do Programa América do Sol. O estudo aponta, entre outros aspectos, que os preços dos sistemas FV estão caindo ano após ano. Djane Melo, especialista em regulação da Aneel, também participou da mesa discutindo as mudanças no setor. Em seguida, representantes da CELESC e do BRDE trouxeram dois temas igualmente importantes para os interessados nesta tecnologia: o projeto ‘Bônus Fotovoltaico’ e a questão do financiamento para iniciativas desta natureza.

Outro painel sobre o assunto foi o ‘Energia nas Cidades’, com moderação de Alessandra da Mota Mathyas, analista de conservação do WWF-Brasil. Foram apresentadas variadas experiências como o da Cooperativa Brasileira de Energia Renovável (Coober), a primeira do país. “As cooperativas proporcionam aos associados a redução dos gastos com energia elétrica e também colaboram com a diversificação da matriz energética”, afirmou Marco Morato de Oliveira, da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB). Participaram do debate ainda Rodolfo Pinto, da Engie Energia; Patrício Pavez, da Quantum Engenharia; e Luiz Fernando Lemos, da Clemar Engenharia.

Outro palestrante internacional do evento foi Alfonso Blanco Bonilla, secretário-executivo da Organização Latino-Americana de Energia (OLADE), que fez um panorama da energia no continente latino-americano e Caribe.

O 8° Seminário Energia + Limpa tem o apoio da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina, Universidade Federal de Santa Catarina, Grupo Fotovoltaica-UFSC, WWF-Brasil e CELESC, além do patrocínio da Engie Energia, IESS Ideal Estudos e Soluções Solares, BRDE, Clemar Engenharia, Fockink, Quantum Engenharia e WEG.

Seminário Energia + Limpa: abertura terá especialistas internacionais

O primeiro dia da 8ª edição do Seminário Energia + Limpa, 7 de junho, contará com dois especialistas em renováveis e mobilidade sustentável: Gualter Crisóstomo, Diretor de Sustentabilidade Organizacional no CeiiA e Alfonso Blanco Bonilla, secretário-executivo da Organização Latino-Americana de Enegia (OLADE). Uma iniciativa do Instituto IDEAL, o Seminário será realizado na FIESC, nos dias 7 e 8 de junho e culmina em visita técnica ao Centro de Pesquisa e Capacitação em Energia Solar da Universidade Federal de Santa Catarina (Fotovoltaica/UFSC) no dia 9 de junho. Há possibilidade de se deslocar até o local a bordo do primeiro ônibus elétrico movido a energia solar do país. Como em todas as edições, as atividades são gratuitas, com capacidade limitada.

O CeiiA é um Centro de Engenharia e Inovação orientado para o desenvolvimento de produtos e sistemas nas indústrias da mobilidade, aeronáutica e offshore. Está presente em seis países e, atualmente, é líder e entidade de referência nas principais iniciativas e fóruns europeus de mobilidade inteligente. Gualter é diretor do CeiiA, locado em Lisboa, e tendo sido responsável por atividades de dinamização e monitoramento da estratégia portuguesa associada à mobilidade sustentável, irá trazer este tema para o debate aqui em Florianópolis. A palestra “Estratégia Portuguesa para a Mobilidade Sustentável”, será no dia 07/6, às 20 horas.

Antes de Gualter, falará Alfonso Blanco Bonilla, da OLADE, que assumiu a organização em janeiro deste ano e tem ampla experiência na América Latina e Caribe como especialista em Energia e Meio Ambiente, prestando assessoria a governos em temas regulatórios, de política energética, e de formulação, avaliação e financiamento a projetos desta natureza. Alfonso apresentará um panorama latino-americano para a energia sustentável no primeiro dia do Seminário, às 20 horas. A palestra será em espanhol.

As inscrições ocorrem no dia 07/6, a partir das 18 horas, no hall da FIESC. A capacidade do auditório é de 387 lugares.


Segundo dia terá paineis sobre mobilidade elétrica e geração distribuída

A apresentação dos resultados preliminares da 4ª edição do estudo “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída Fotovoltaica – 2017” abre os trabalhos do dia 8/6 na FIESC, às 9h30. Philipp Hahn, Diretor Responsável para Energias Renováveis e Eficiência Energética na Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha no Rio de Janeiro (AHK-RJ) e Taynara Mighelão, consultora do programa América do Sol, realizarão a palestra conjuntamente apontando dados comparados do mercado FV no Brasil.

Dando sequencia às atividades, Marco Aurélio Gianesini, Chefe da Divisão de Eficiência Energética, Pesquisa e Desenvolvimento da CELESC e Nelson Ronnie dos Santos, Superintendente do BRDE em SC, apresentam dois cases: Bônus Fotovoltaico e Financiamento para Projetos de Energia Limpa, respectivamente.

O primeiro painel da manhã ‘Energias nas Cidades’ ocorre a partir das 11 horas e reúne representantes da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Engie Energia e Quantum Engenharia. Marco Morato de Oliveira, da OCB, falará a respeito da primeira cooperativa de energia solar, instalada recentemente no Pará. A Engie Energia abordará o tema ‘Comunidades Solares’ e Patrício Pavez, da Quantum Engenharia, apresentará cases inovadores em energia solar FV. A mediação da mesa é da jornalista Alessandra da Mota Mathyas, do WWF-Brasil.

À tarde, a discussão é focada em mobilidade elétrica urbana e contará com as participações de: Margaret Groff (ex-Itaipu Binacional), Cesare Quinteiro Pica, Diretor do Centro de Energia Sustentável da Fundação CERTI; Mirian Gonçalves, presidenta do Instituto Direito e Democracia e criadora do Projeto Curitiba Ecoelétrico, e o estudante Arthur Bianchini, do projeto Ampera Racing. A moderação é do professor Ricardo Rüther, diretor do IDEAL, coordenador do grupo Fotovoltaica-UFSC e idealizador do primeiro ônibus elétrico movido à energia solar do país – o que confere identidade visual ao 8° Seminário Energia + Limpa. Durante todo o dia, o ônibus estará estacionado em frente à FIESC aberto à visitação.

O encerramento na FIESC fica a cargo do presidente do IDEAL, Mauro Passos, com previsão de encerramento às 17h30. Nos dois dias, o participante ainda poderá visitar exposições temáticas e carros elétricos, incluído um veículo de competição do grupo Ampera Racing.

O Seminário encerra no dia 9/6, com dois horários disponíveis para visitas técnicas: 10h30 e 13h30. Haverá transporte de ônibus elétrico da UFSC ao Sapiens Park, na Cachoeira do Bom Jesus (Florianópolis), onde está localizado o Centro de Pesquisa e Capacitação em Energia Solar. Os horários de saída e retorno do ônibus serão divulgados durante o Seminário na FIESC. As inscrições para a vista e para os deslocamentos de ônibus ocorreram no dia 08/6, com staff exclusivamente dedicado a esta finalidade. O limite por viagem são 35 pessoas.

O 8° Seminário Energia + Limpa tem o apoio da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina, Universidade Federal de Santa Catarina, Grupo Fotovoltaica-UFSC, WWF-Brasil e CELESC, além do patrocínio da Engie Energia, IESS Ideal Estudos e Soluções Solares, BRDE, Clemar Engenharia, Fockink, Quantum Engenharia e WEG.