IDEAL apresenta projetos no 3º Congresso Brasileiro de GD

O Instituto IDEAL apresentou três de seus projetos no 3º Congresso Brasileiro de Geração Distribuída (CBGD), realizado nos dias 24 e 25 de outubro, em Fortaleza, no Ceará. Para o presidente do Instituto, Mauro Passos, o encontro foi importante para mostrar o trabalho que está sendo realizado e trocar experiências. “Tivemos a oportunidade de mostrar os nossos projetos na área de energia solar, um tema tão importante e atual. Da nossa parte, um dos destaques foi o projeto Municípios Solares”, afirmou.

O projeto, realizado em parceria com a Federação Catarinense de Municípios (FECAM) e com o apoio da Quantum Engenharia, tem por objetivo mostrar a viabilidade de as cidades investirem em energia solar. “Os municípios vão obter economia a médio prazo no consumo de energia e, além disso, estarão investindo em uma tecnologia sustentável, contribuindo com a sustentabilidade do planeta”, explicou Mauro Passos.

A primeira parte do projeto, que está sendo realizada neste ano, são encontros nas regiões de Santa Catarina para apresentar a ideia. O passe seguinte será a realização de estudos de viabilidade.

Além do presidente Mauro Passos, a consultora Taynara Reisner Mighelão participou do congresso na mesa “Disseminação de informação e conhecimento: projetos de incentivo ao uso de energia solar FV”. Ela fez um resumo das principais iniciativas do IDEAL, como o estudo “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída FV – edição 2018”.

Elaborado em parceria com a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha Rio de Janeiro (AHK-RJ), o estudo está na sua quinta edição. “Estamos apresentando o estudo em diversos eventos. É uma forma de disseminar conhecimento sobre energia fotovoltaica, que é um dos objetivos do IDEAL. Tenho percebido que os dados estão se tornando uma referência na área”, avaliou Taynara.

Entre os resultados do estudo está a comprovação da diminuição dos preços dos sistemas fotovoltaicos. Para equipamentos de até 5kWp, por exemplo, o valor caiu de R$7,51/Wp em 2016 para R$6,29 kWp em 2017. A consultora também destacou o amadurecimento do setor. “Do total das empresas pesquisadas, 31% já possuem de 3 a 5 anos de atuação”.

Outro projeto apresentado foi o Selo Solar, um certificado entregue para residências, comércios, indústrias, poder público e organizações sociais que produzam sua própria energia usando como fonte o sol. O IDEAL já entregou 157 certificações, que tem o apoio do WWF-Brasil. Após uma minuciosa avaliação administrativa e financeira da iniciativa, o IDEAL retoma o processo de certificação a partir de 01/11/18.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *