Posts

O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída FV – Edição 2019

Iniciativa do Instituto IDEAL e AHK-RJ, o Estudo “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída Fotovoltaica” chega a sua sexta edição. O propósito do estudo é compreender os principais desafios a serem enfrentados para uma maior adoção da geração distribuída a partir da energia fotovoltaica no país. É resultado de entrevistas às empresas cadastradas no Mapa de Empresas do Setor Fotovoltaico (http://www.americadosol.org/fornecedores), do programa América do Sol, conduzido pelo Instituto IDEAL.

Em Português

O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída FV – Edição 2019

Em Inglês

THE BRAZILIAN MARKET OF DISTRIBUTED PHOTOVOLTAIC GENERATION

Seja um patrocinador do estudo “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída Fotovoltaica – Edição 2019”

O Instituto IDEAL e a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha do Rio de Janeiro (AHK-RJ) estão finalizando a sexta edição do estudo “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída Fotovoltaica – Edição 2019”. Até o dia 15 de maio, os interessados poderão patrocinar a publicação, que tem se consolidado como uma das mais importantes da área. O material tem se tornado referência para empresas, pesquisadores e o público que consome energia solar.

As cotas de patrocínio variam entre R$ 5 mil e R$ 20 mil. “Quem faz o patrocínio tem uma série de contrapartidas, ganhando destaque nos canais de comunicação que atingem o público alvo, os consumidores de energia solar. Além disso, os patrocinadores ajudam a incentivar o crescimento do setor”, avaliou a consultora do programa América do Sol Taynara Mighelão, uma das responsáveis pelo estudo. Para mais informações sobre as cotas de patrocínio, clique aqui. O estudo já conta com o patrocínio da Intersolar South America, Globaltek e ESS.

O Estudo, que é uma iniciativa do IDEAL e da AHK-RJ, tem o apoio da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), da Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD) e da maior feira do setor na América Latina, a Intersolar . Os dados preliminares serão divulgados no dia 5 e 6 de junho, durante o Fórum GD, em Florianópolis. O lançamento está programado para ser realizado durante a Intersolar, que ocorre entre os dias 27 e 29 de agosto.

Os resultados do estudo provêm de questionários enviados para mais de duas mil empresas cadastradas no banco de fornecedores, instaladores e projetistas do programa América do Sol. O estudo traz dados, por exemplo, sobre os preços dos sistemas instalados, tamanho dos sistemas e tempo de conexão à rede elétrica.

Retrospectiva e desafios para 2019

Mauro Passos
Presidente do Instituto IDEAL

Todo fim de ano é um momento propício para refletirmos sobre nossa atuação e sobre os desafios que teremos pela frente, sobretudo em um contexto em que as energias renováveis, principalmente a solar, têm o potencial de vir a suprir as futuras demandas energéticas.

O ano que passou foi de muito trabalho. Uma das nossas principais iniciativas foi o projeto Municípios Solares, uma parceria do Instituto IDEAL com a Federação Catarinense de Municípios (FECAM) e a Quantum Engenharia e com o apoio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). A primeira etapa foi apresentar a idéia a prefeitos e suas equipes, com intuito de socializar o conhecimento. O projeto teve grande aceitação em Santa Catarina e já está sendo apresentado em outros estados brasileiros. O desafio para 2019 é colocá-lo em prática.

O ano também foi marcado por uma aproximação ainda mais intensa com o cooperativismo. Junto com o Grupo Fotovoltaica – UFSC, lançamos o Simulador de Cooperativas de Energia Solar. O aplicativo digital simula o tamanho do sistema FV para suprir a energia consumida pelos cooperados e cooperadas, os custos para manter a cooperativa e a economia esperada por cooperado(a).

Neste contexto, após negociações iniciadas com a Confederação Alemã de Cooperativas (DGRV) há dois anos, o IDEAL foi parceiro na realização do estudo “Potencial de las Cooperativas de Energías Renovables en América Latina − La Generación Distribuida en Brasil, Chile y México”, que será lançado em breve. O conteúdo é um estado da arte sobre as cooperativas de e com geração distribuída no Brasil, no Chie e no México.

Realizamos em junho o 9º Seminário Energia + Limpa. A programação, focada em temas que nos aproximam do futuro, tratou do mercado de energia fotovoltaica, das cooperativas solares e da mobilidade elétrica. No evento, lançamos o Prêmio América do Sol 2019, cujo objetivo é reconhecer iniciativas inovadoras e sustentáveis na área da energia solar.

Ainda em 2018, lançamos a quinta edição do estudo “Mercado Brasileiro de Geração Distribuída”, uma iniciativa do IDEAL e da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha. O Selo Solar, que passou por algumas atualizações, também se consolida como uma importante certificação do setor fotovoltaico.

Em relação ao ano que se inicia, a questão ambiental vai ser um dos nossos grandes desafios. O ano terminou com a notícia de que a Amazônia teve o maior desmatamento da história. A energia solar, com todo o crescimento que teve, está ameaçada por mudanças regulatórias e pelo lobby das concessionárias. Organizações não governamentais, como o Instituto IDEAL, também vão enfrentar dificuldades.

Enfim, como podemos ver, 2019 será um ano de grandes desafios. Só que não nos falta energia para enfrentá-los.

Desejamos a todos um bom fim de ano e um 2019 com as energias renovadas.

IDEAL apresenta projetos no 3º Congresso Brasileiro de GD

O Instituto IDEAL apresentou três de seus projetos no 3º Congresso Brasileiro de Geração Distribuída (CBGD), realizado nos dias 24 e 25 de outubro, em Fortaleza, no Ceará. Para o presidente do Instituto, Mauro Passos, o encontro foi importante para mostrar o trabalho que está sendo realizado e trocar experiências. “Tivemos a oportunidade de mostrar os nossos projetos na área de energia solar, um tema tão importante e atual. Da nossa parte, um dos destaques foi o projeto Municípios Solares”, afirmou.

O projeto, realizado em parceria com a Federação Catarinense de Municípios (FECAM) e com o apoio da Quantum Engenharia, tem por objetivo mostrar a viabilidade de as cidades investirem em energia solar. “Os municípios vão obter economia a médio prazo no consumo de energia e, além disso, estarão investindo em uma tecnologia sustentável, contribuindo com a sustentabilidade do planeta”, explicou Mauro Passos.

A primeira parte do projeto, que está sendo realizada neste ano, são encontros nas regiões de Santa Catarina para apresentar a ideia. O passe seguinte será a realização de estudos de viabilidade.

Além do presidente Mauro Passos, a consultora Taynara Reisner Mighelão participou do congresso na mesa “Disseminação de informação e conhecimento: projetos de incentivo ao uso de energia solar FV”. Ela fez um resumo das principais iniciativas do IDEAL, como o estudo “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída FV – edição 2018”.

Elaborado em parceria com a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha Rio de Janeiro (AHK-RJ), o estudo está na sua quinta edição. “Estamos apresentando o estudo em diversos eventos. É uma forma de disseminar conhecimento sobre energia fotovoltaica, que é um dos objetivos do IDEAL. Tenho percebido que os dados estão se tornando uma referência na área”, avaliou Taynara.

Entre os resultados do estudo está a comprovação da diminuição dos preços dos sistemas fotovoltaicos. Para equipamentos de até 5kWp, por exemplo, o valor caiu de R$7,51/Wp em 2016 para R$6,29 kWp em 2017. A consultora também destacou o amadurecimento do setor. “Do total das empresas pesquisadas, 31% já possuem de 3 a 5 anos de atuação”.

Outro projeto apresentado foi o Selo Solar, um certificado entregue para residências, comércios, indústrias, poder público e organizações sociais que produzam sua própria energia usando como fonte o sol. O IDEAL já entregou 157 certificações, que tem o apoio do WWF-Brasil. Após uma minuciosa avaliação administrativa e financeira da iniciativa, o IDEAL retoma o processo de certificação a partir de 01/11/18.

Instituto IDEAL concede 22 Selos Solares

O Instituto IDEAL concedeu 22 Selos Solares para residências, comércios, indústrias e universidades. Os pedidos foram feitos antes da suspensão temporária da emissão do certificado, que ocorreu no dia 24 de agosto. O objetivo da medida é avaliar a viabilidade administrativa e financeira do Selo diante da crescente demanda.

Seis selos foram entregues para o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas (IFSULDEMINAS). A instituição de ensino conta com um projeto chamado IFSOLAR, que planeja instalar sistemas fotovoltaicos (FV) em 82 câmpus. Os certificados foram entregues para as unidades de Pouso Alegre, onde está localizada a reitoria (sistema de 70 kWp), Passos (70 kWp), Carmo de Minas (28,62 kWp), Poço de Caldas (70 kWp), Machado (70 kWp) e Inconfidentes (70 kWp).

Os estados de Tocantins, Maranhão e Paraíba tiveram os primeiros Selos recebidos. A Tecnomédica Comércio e Assistência Técnica Hospitalar, de Palmas (TO), ganhou o certificado por ter instalado um sistema FV de 19,2 kWp; a Hot Bel Comercial, de Imperatriz (MA), por possuir um equipamento de 81 kWp; e Almiro Silva dos Santos, de Benevides (PA), por gerar energia a partir de um sistema de 7,8 kWp.

Seis selos foram entregues para Santa Catarina. Os certificados foram concedidos para a Fazenda 3MARIAS Agronegócios, de Videira (sistema de 42,12 kWp); a Vida Nova Papéis, de Lontras (21,76 kWp); a Imobal – Indústria de Móveis Baldissera, de São Miguel do Oeste (125,4 kWp); a FAF International Air Cargo, de Florianópolis (8,64 kWp); Edenilson Pedro Rossi, de Videira (6,48 kWp); e Curt Kleischmidt, de Rio das Antas (6 kWp).

Os outros selos foram entregues para os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Alagoas. Em São Paulo, receberam o Selo a Pecuarista D´Oeste de Araçatuba, de Araçatuba (sistema de 13 kWp) e Patricia Lowy, de Vinhedo (4,2 kWp). No Rio de Janeiro, Angela Maria Lima Souto, de Niterói (3,60 kWp), Bruno Daflon Do Amaral, de Arraial do Cabo (2,56 kWp), José Maurício, de Itaboraí (4,2 kWp) e Almir Ignácio Natal, do Rio de Janeiro (12,16 kWp), ganharam o certificado. Em Alagoas, Anna Manuella Accioly Galvão de Jesus, de Maceió (3,64 kWp), também recebeu o certificado.

O Selo Solar é uma iniciativa do Instituto IDEAL com apoio do WWF-Brasil e Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da GIZ e KfW.

IDEAL na Intersolar South America: Simulador de Cooperativas Solares e estudo do mercado fotovoltaico brasileiro (inglês)

O Instituto IDEAL participou de dois lançamentos na Intersolar South America 2018, que ocorreu entre os dias 28 e 30 de agosto, em São Paulo. Junto com o Grupo Fotovoltaica–UFSC, disponibilizou o Simulador de Cooperativas de Energia Solar. E, em parceria com a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha Rio de Janeiro (AHK-RJ), apresentou a versão em inglês do estudo “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída FV – edição 2018”.

O presidente do Instituo IDEAL, Mauro Passos, destacou que a Intersolar contou com um grande público interessado. “Na minha avaliação, a novidade foi o debate sobre o cooperativismo para geração de energia solar. O simulador será uma grande ferramenta para ajudar os interessados em formar uma cooperativa solar”, afirma.

O Simulador de Cooperativas de Energia, lançado no dia 29/08, é um aplicativo digital para facilitar o planejamento de uma cooperativa de geração distribuída. A ferramenta calcula o tamanho de um sistema fotovoltaico (FV) para suprir a demanda consumida pelos cooperados e cooperadas, os custos para manter a cooperativa e a economia esperada para cada participante.

O aplicativo foi criado com o apoio da Organização Brasileira das Cooperativas (OCB), da Confederação Alemã de Cooperativas (DGRV) e da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH.

O lançamento foi feito pela pesquisadora do Grupo Fotovoltaica-UFSC/IDEAL Kathlen Schneider durante o painel “A cooperativa solar e o projeto solar comunitário no Brasil”. A abertura foi realizada pelo professor Ricardo Rüther, coordenador do Grupo e diretor do IDEAL.

Outro destaque do IDEAL na Intersolar South America foi o lançamento da versão em inglês da edição  2018 do estudo “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída FV” também no dia 29. Durante o lançamento, que integrou o seminário “O mercado FV doméstico brasileiro: desafios e restrições”, a consultora do programa América do Sol Taynara Mighelão apresentou os principais resultados. Os patrocinadores do estudo edição 2018 são Engie Solar e Intersolar South America

Na tarde do mesmo dia, durante a feira, que foi aberta ao público, no espaço Innovation & Presentation Stage, Taynara Mighelão fez uma palestra com o tema “Qualidade nas instalações FV: Certificações e desafios no Brasil”.

As versões em português e inglês do estudo podem ser acessadas clicando aqui.

IDEAL concede primeiro Selo Solar para o Ceará

O Instituto IDEAL concedeu quatro Selos Solares nesta semana para unidades que produzem energia fotovoltaica. A Pousada Nova Oasis do Rei, localizada em Aracati, foi a primeira do Ceará a receber a certificação. Um posto de combustível e uma fábrica de cuias, no Rio Grande do Sul, além de uma empresa de tecnologia do Mato Grosso do Sul, também receberam o Selo.

A Pousada Nova Oasis do Rei possui um sistema fotovoltaico de 6 kWp instalado desde novembro de 2016. “Optamos pela energia solar por dois motivos: porque ela é limpa e econômica. O Selo Solar mostra que estamos fazendo o certo”, afirmou o proprietário Aleksandro Oliveira do Nascimento. Atualmente, cerca de 30% da energia consumida é gerada no empreendimento. O objetivo é ampliar o sistema.

O IDEAL também concedeu o Selo Solar para um posto e uma indústria no Rio Grande do Sul. A Cuias Jadi, de Frederico Westphalen, possui um sistema de 9,1 kWp instalado desde janeiro deste ano. Já o posto São Paulo, de Giruá, tem um sistema de 35 kWp, que funciona desde fevereiro.

O outro Selo foi concedido para a Silis Tecnologia, localizada em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. A empresa, especializada no desenvolvimento de tecnologia fotovoltaica, possui um sistema de 6 kWp instalado desde outubro de 2016.

O Selo Solar é uma iniciativa do Instituto IDEAL com apoio do WWF-Brasil e Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da GIZ e KfW.

Histórias Solares: Casas para difundir a sustentabilidade

Conheça a história de dois proprietários de residências solares no interior do Paraná que buscam difundir a consciência ecológica, além de terem diminuído a conta de luz. Ambos obtiveram o Selo Solar neste mês e mostram como as residências podem ser usadas para difundir a importância da energia solar e das ideias sobre sustentabilidade. Bernardino e Euclides esperam levar estudantes das cidades de São Miguel do Iguaçu e Medianeira para conhecerem suas usinas solares.

O administrador Bernardino Crestani costumava ter curiosidade sobre as tecnologias solares. Após fazer um curso técnico em São Paulo, resolveu instalar um sistema fotovoltaico em sua casa, localizada em São Miguel do Iguaçu, para aliar economia na conta de luz e a promoção da sustentabilidade. “No começo eu era cético, mas depois percebi que poderia dar certo e conseguiria contribuir com a geração de energia limpa”, afirmou.

A conta de luz da sua casa ficava em torno de R$ 400, R$ 450 por mês. Após a instalação do sistema, cujo investimento foi de R$ 32 mil, aproximadamente, Bernardino reduziu em mais de 300 reais sua conta de luz. Isso porque a fatura ainda inclui taxa referente ao custo de disponibilidade, iluminação pública e o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). O Paraná é um dos cinco estados brasileiros que ainda persistem na cobrança do imposto sobre a autoprodução de energia renovável.

Bernardino quer difundir as ideias sobre a energia mais limpa usando o Selo Solar, que ele fixará em uma placa na frente de sua residência. Além disso, pretende fazer uma parceria com escolas e receber estudantes em sua casa para conhecerem o sistema fotovoltaico. “A gente percebe que a maioria das pessoas não sabe o que é energia solar. Muitos não sabem a diferença entre aquecimento de água e geração de energia solar. Penso que, começando pelas crianças, elas poderão levar a informação para os pais e ajudar a criar uma consciência ecológica”, disse.

Ideia semelhante tem o casal Marli Albertina Rosso e Euclides Walker, cuja casa em Medianeira também recebeu o Selo Solar nesta semana. Uma das metas do casal é levar estudantes para conhecerem o sistema. “O objetivo é difundir a ideia. Se falar de energia solar, poucos vão saber o que é. A ideia é despertar a consciência ecológica, mostrar que é possível”, disse o empresário Euclides Walker.

O empresário ainda espera trabalhar com energia fotovoltaica no futuro. Mas, enquanto isso não ocorre, optou por fazer um projeto na sua própria residência. O investimento foi de R$ 30 mil, fazendo com que a conta diminuísse entre 500 e 600 reais por mês, pagando agora cerca de R$ 100. Como no caso de Bernardino, parte deste valor vai para pagar o custo de disponibilidade, iluminação pública e ICMS.

O Selo Solar é uma iniciativa do Instituto IDEAL com apoio do WWF-Brasil e Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da GIZ e KfW.

Estudo: questionário será enviado este mês.

O questionário que servirá de base para o desenvolvimento da quarta edição do Estudo “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída Fotovoltaica – 2017”, uma iniciativa do Instituto IDEAL e AHK do Rio de Janeiro, será enviado este mês a mais de 1.000 fornecedores/fabricantes, instaladores e/ou projetistas de todas as regiões do país. Para responder, são necessários 15 minutos, em média, nenhum respondente poderá preencher mais de uma vez, e todos estão cadastrados no Banco de Fornecedores do Setor FV do América do Sol, o maior programa de disseminação da energia solar fotovoltaica do Brasil com vistas a todo o continente latino-americano.

A partir desta edição, além do apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável por meio da GIZ, o Instituto IDEAL também assegurou ao Estudo o apoio institucional da Agência Nacional de Energia Elétrica, a ANEEL. Já os patrocinadores confirmados até o momento são: Intersolar South America, Phb Solar e Sices Brasil, todos na categoria Ouro (limite de cotas esgotado). Para as demais categorias – Prata (R$ 10.000) e Bronze (R$ 5.000) – ainda há possibilidade de apoio. Clique aqui para saber mais.

O Estudo “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída Fotovoltaica” busca analisar ano a ano o desenvolvimento do mercado e identificar os desafios no processo de conexão à rede de micro e minigeradores fotovoltaicos, no âmbito da REN 482/2012 da ANEEL. Os resultados preliminares do Estudo serão conhecidos no 8° Seminário Energia + Limpa, que ocorrerá este ano nos dias 7 e 8 de junho, na Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), em Florianópolis.

“O Mercado Brasileiro de GDFV – 2016”: lançamento presencial e on line seguem linha inovadora da edição

A terceira edição do Estudo “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída Fotovoltaica – 2016”, uma iniciativa do Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (IDEAL) e da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha do Rio de Janeiro (AHK-RJ) foi lançado no último dia 25/10, no Centro de Pesquisa e Capacitação em Energia Solar da UFSC, cerimônia que foi simultaneamente transmitida on line em nosso canal do Youtube,  onde você a encontra na íntegra. O estudo completo para leitura também está disponível em www.institutoideal.org/biblioteca.

O coordenador do Grupo Fotovoltaica UFSC, professor Ricardo Rüther, anfitrião do evento, comentou a evolução do estudo e deu as boas-vindas aos presentes. Mauro Passos, presidente do IDEAL, destacou a importância das parcerias para a manutenção do trabalho de disseminação do conhecimento levado a cabo pelo Instituto. O gerente de projetos do IDEAL e GIZ, Peter Krenz, comentou sobre o surgimento do Estudo e a evolução do mesmo, com a parceria estabelecida com a AHK-RJ. Também saudou os convidados, Alcione Belache, diretor da Renovigi, patrocinadora ouro da edição 2016.

O ponto alto foi a apresentação dos principais resultados e conclusões do Estudo pela consultora do programa América do Sol, Taynara Miguelão. Um fato inconteste é a consolidação dos dados apresentados, tendo em conta o aumento no número de respondentes. Já os preços praticados no país por kWp para sistemas fotovoltaicos de até 5 kWp, apresentaram pouca variação nos últimos três anos, no entanto, o número médio de projetos executados pelas empresas instaladoras subiu para três em 2015.

Fruto de análises realizadas a partir de questionário enviado a mais de 1.000 empresas do setor fotovoltaico cadastradas no mapa do programa América do Sol, o estudo, pioneiro no país, tem ainda o importante papel de identificar os desafios a serem aprimorados no processo de conexão à rede de micro e minigeradores fotovoltaicos, no âmbito da Resolução Normativa 482 da ANEEL.

Os patrocinadores que viabilizaram a realização da edição 2016 do Estudo são: Engie Solar, Intersolar South America, Renovigi, SICES Brasil, DYA Energia Solar, PHB, EBES, Solar-e e WEG. Se você deseja ser um patrocinador da edição 2017, clique aqui e saiba como.