Posts

IDEAL e Cresol realizaram debates sobre energia solar e cooperativismo no Oeste de Santa Catarina

O que é energia solar? Por que investir nessa tecnologia? Como o cooperativismo pode se beneficiar dos sistemas fotovoltaicos (FV)? Essas foram algumas questões que nortearam quatro debates realizados no Oeste de Santa Catarina na semana passada (7 a 9/08). Os eventos − uma parceria do Instituto IDEAL com a cooperativa de crédito Cresol Base Oeste e com o apoio do gabinete do deputado Pedro Uczai − reuniram mais de 250 pessoas nas cidades de Dionísio Cerqueira, Pinhalzinho, Quilombo e Chapecó.

O presidente do Instituto IDEAL, Mauro Passos, abriu os debates contando a história da energia solar e mostrando a evolução dessa tecnologia. Mostrou que ela é eficiente, confiável e limpa. “Além disso, a energia solar está ganhando escala, e o preço, caindo. A cada ano está ficando mais barato produzir a própria energia. Até porque o valor da conta de luz, historicamente, é corrigido acima da inflação”, afirmou Passos.

Passos também salientou que o futuro dessa tecnologia passa pelo cooperativismo. “A energia solar é a cara do cooperativismo. O que é uma cooperativa? São pessoas que se juntam para fazer algo maior. E por que não fazer uma cooperativa solar para gerar energia e distribuir entre os cooperados? Hoje isso é possível”, argumentou.

Kathlen Schneider, diretora do IDEAL e pesquisadora do Centro de Pesquisa e Capacitação em Energia Solar da Universidade Federal de Santa Catarina (Fotovoltaica-UFSC), proferiu a palestra “O Cooperativismo e a Energia Solar Fotovoltaica”. Desde 2015, com a Resolução Normativa 687 da Aneel, é possível que pessoas se reúnam em forma de cooperativa para produzir a própria energia.

Há duas formas para fazer isso. As cooperativa existentes podem instalar a energia fotovoltaica em suas unidades ou podem ser criadas cooperativas exclusivamente para gerar energia. Na sua apresentação, Kathlen Schneider mostrou os modelos existentes no Brasil das associações criadas exclusivamente para este fim. “Cada uma, no seu contexto, foi encontrando um modelo. Não há uma receita de bolo. Cada local tem um contexto, um potencial de irradiação, uma geografia, são pessoas diferentes. Esses casos mostram as cooperativas são uma forma de democratizar o acesso à energia”, falou.

O encerramento ocorreu em Chapecó com a presença do deputado federal Pedro Uczai e do presidente da Cresol Chapecó Paulo Roberto Munarini. Ambos comprometidos com a energia solar na região, reafirmaram seus compromissos de levar adiante a iniciativa do Instituto IDEAL.

Quer conhecer mais sobre o assunto? conheça o “Guia de Constituição de Cooperativas de Geração Distribuída Fotovoltaica?” e o “Simulador de cooperativas de energia solar”.

 

Instituto IDEAL participa no Espírito Santo da inauguração do maior complexo de energia solar compartilhada do Brasil

O maior complexo de geração compartilhada de energia solar fotovoltaica do Brasil, com 1.193 kWp de potência instalada, foi inaugurado dia 9 de agosto, no Espírito Santo. Conta com 10 unidades geradoras instaladas na cobertura do Complexo Logístico da Cooperativa Agropecuária Centro-Serrana (Coopeavi), localizado em Ibiraçu-ES, em parceria com a Sicoob-ES.

Kathlen Schneider, diretora do IDEAL e pesquisadora do Centro de Pesquisa e Capacitação em Energia Solar da Universidade Federal de Santa Catarina (Fotovoltaica-UFSC), participou da inauguração. “A Sicoob-ES está sendo pioneiríssima no Brasil em um modelo de geração de energia que já é tendência em outros países. Um modelo de geração que permite o acesso democrático às fontes de energias renováveis, evidenciando que o cooperativismo e a energia solar andam muito bem juntos”, avaliou.

Um dos países onde este modelo já é tendência é a Alemanha. De acordo com Camila Japp, gerente de Projetos da DGRV (Confederação Alemã de Cooperativas), existem 800 cooperativas envolvidas na geração compartilhada naquele país. “O modelo aqui do Espírito Santo envolvendo cooperativas de crédito é inédito e vai servir de exemplo para o restante do país”, disse ao participar do lançamento da usina de Ibiraçu.

A energia produzida em Ibiraçu será usada em 95 agências da Sicoob-ES e na Coopeavi, onde estão instalados os painéis solares. Além disso, a grande inovação desse projeto é que parte da energia solar será compartilhada com associados da Sicoob-ES. Inicialmente, 75 pessoas foram convidadas para participar desse projeto-piloto de compartilhamento, levando em consideração critérios como tempo de associação e interesse pelo projeto.

Esse modelo de geração compartilhada se viabilizou por meio da criação da Ciclos, uma cooperativa de infraestrutura, consumo e serviços através da qual os cooperados e cooperadas poderão se inscrever para participar deste e de outros projetos; e por meio de uma parceria com a startup CleanClic – Gestão Inteligente de Energia, responsável pelo desenvolvimento da plataforma colaborativa que faz a ponte entre o cooperado e a energia gerada pela usina fotovoltaica.

A experiência do Sicoob-ES em compartilhar energia para cooperativas começou com a usina de geração em Santa Maria de Jetibá, com capacidade de 34,6 kWp. O complexo que entrou em operação, em Ibiraçu, possui uma capacidade instalada de 1.193 kWp.

E o projeto terá outra fase. “A fase 3 prevê investimento de R$ 35 milhões nos próximos 12 meses para atender a 100% das agências do Sicoob do Espírito Santo e a 2.500 unidades consumidoras de associados da Ciclos”, anunciou Vitor Romero, C.E.O. da CleanClic.

IDEAL na Intersolar South America: Simulador de Cooperativas Solares e estudo do mercado fotovoltaico brasileiro (inglês)

O Instituto IDEAL participou de dois lançamentos na Intersolar South America 2018, que ocorreu entre os dias 28 e 30 de agosto, em São Paulo. Junto com o Grupo Fotovoltaica–UFSC, disponibilizou o Simulador de Cooperativas de Energia Solar. E, em parceria com a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha Rio de Janeiro (AHK-RJ), apresentou a versão em inglês do estudo “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída FV – edição 2018”.

O presidente do Instituo IDEAL, Mauro Passos, destacou que a Intersolar contou com um grande público interessado. “Na minha avaliação, a novidade foi o debate sobre o cooperativismo para geração de energia solar. O simulador será uma grande ferramenta para ajudar os interessados em formar uma cooperativa solar”, afirma.

O Simulador de Cooperativas de Energia, lançado no dia 29/08, é um aplicativo digital para facilitar o planejamento de uma cooperativa de geração distribuída. A ferramenta calcula o tamanho de um sistema fotovoltaico (FV) para suprir a demanda consumida pelos cooperados e cooperadas, os custos para manter a cooperativa e a economia esperada para cada participante.

O aplicativo foi criado com o apoio da Organização Brasileira das Cooperativas (OCB), da Confederação Alemã de Cooperativas (DGRV) e da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH.

O lançamento foi feito pela pesquisadora do Grupo Fotovoltaica-UFSC/IDEAL Kathlen Schneider durante o painel “A cooperativa solar e o projeto solar comunitário no Brasil”. A abertura foi realizada pelo professor Ricardo Rüther, coordenador do Grupo e diretor do IDEAL.

Outro destaque do IDEAL na Intersolar South America foi o lançamento da versão em inglês da edição  2018 do estudo “O Mercado Brasileiro de Geração Distribuída FV” também no dia 29. Durante o lançamento, que integrou o seminário “O mercado FV doméstico brasileiro: desafios e restrições”, a consultora do programa América do Sol Taynara Mighelão apresentou os principais resultados. Os patrocinadores do estudo edição 2018 são Engie Solar e Intersolar South America

Na tarde do mesmo dia, durante a feira, que foi aberta ao público, no espaço Innovation & Presentation Stage, Taynara Mighelão fez uma palestra com o tema “Qualidade nas instalações FV: Certificações e desafios no Brasil”.

As versões em português e inglês do estudo podem ser acessadas clicando aqui.