Posts

energia.coop: Plataforma Energia Cooperativa no Brasil será lançada dia 20 de outubro em evento virtual

A plataforma energia.coop tem por objetivo ser um ponto central de informações sobre Energia Cooperativa no Brasil. Ela será lançada em evento virtual no dia 20 de outubro, das 14h às 15h30min. Para participar do encontro, confirme a presença clicando aqui.

A plataforma energia.coop foi elaborada para crescer e expandir o conhecimento sobre a energia renovável e eficiência energética cooperativa de forma alinhada e organizada, buscando também dar visibilidade e gerar oportunidades para as iniciativas já existentes no Brasil.

O desenvolvimento desta plataforma acontece no âmbito do projeto internacional “Plataformas de diálogo cooperativo de energia para fortalecer projetos descentralizados de energia renovável por meio do engajamento cidadão” realizado pela DGRV – Deutscher Genossenschafts-und Raiffeisenverband e. V. (Confederação Alemã das Cooperativas) e financiado pelo Ministério Alemão de Cooperação Econômica e Desenvolvimento (BMZ).

O Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (IDEAL) e o Centro de Pesquisa e Capacitação em Energia Solar da Universidade Federal de Santa Catarina (Fotovoltaica-UFSC) foram parceiros nesta construção.

A Energia Cooperativa surge como uma das possibilidades de materializar o sonho coletivo e urgente de mitigar as mudanças climáticas e de construir um futuro mais justo e responsável com o meio ambiente e futuras gerações. A Energia Cooperativa é uma forma de democratizar o acesso à geração de energia renovável e incentivar o consumo consciente e eficiente de energia elétrica, além de ter o potencial de descentralizar e diversificar a matriz energética do país trazendo muitas vantagens para a comunidade local. A Energia Cooperativa fortalece a autonomia energética coletiva e transforma o consumidor de energia em um agente de mudança no processo de transição energética.

Para saber mais sobre a plataforma participe do evento.

Publicado estudo sobre o potencial cooperativo para produção de energia limpa na América Latina com participação do IDEAL

Já está disponível o estudo “Potencial de las Cooperativas de Energías Renovables en América Latina − La Generación Distribuida en Brasil, Chile y México”, uma iniciativa da Confederação Alemã das Cooperativas (DGRV). O objetivo é que o conteúdo seja um ponto de partida para atividades que envolvam o tema energias renováveis no contexto do setor cooperativo. O estudo, que contou com a participação do IDEAL, pode ser acessado aqui.

O presidente do Instituto IDEAL, Mauro Passos, ressalta a importância do estudo. “É mais um passo na construção do conhecimento sobre energias renováveis e cooperativas, algo tão importante para a nossa América Latina. Foi uma exitosa parceria que se construiu com a DGRV e com a OCB (Organização das Cooperativas do Brasil)“.

Um dos pontos altos do trabalho são os quadros comparativos entre os três países. É possível observar, por exemplo, as similaridades e diferenças em relação a temas como política climática, marcos legais no setor energético, políticas e programas para o setor energético e características da Geração Distribuída (GD). Um dos dados mostra que no Brasil há nove cooperativas de GD, enquanto o México não possui nenhuma. No entanto, há 110 cooperativas no Brasil com GD (elas têm outras finalidades, mas geram a própria energia).

Outras informações sobre o estudo podem ser acessadas aqui.

IDEAL participa de estudo sobre o potencial cooperativo para produção de energia limpa na América Latina

O Instituto IDEAL participou do estudo “Potencial de las Cooperativas de Energías Renovables en América Latina − La Generación Distribuida en Brasil, Chile y México”, uma iniciativa da Confederação Alemã das Cooperativas (DGRV). O objetivo é que o conteúdo seja um ponto de partida para atividades que envolvam o tema energias renováveis no contexto do setor cooperativo. O estudo pode ser acessado aqui.

Um dos pontos altos do trabalho são os quadros comparativos entre os três países. É possível observar, por exemplo, as similaridades e diferenças em relação a temas como política climática, marcos legais no setor energético, políticas e programas para o setor energético e características da Geração Distribuída (GD). Um dos dados mostra que no Brasil há nove cooperativas de GD, enquanto o México não possui nenhuma. No entanto, há 110 cooperativas no Brasil com GD (elas têm outras finalidades, mas geram a própria energia).

A DGRV tem o propósito de fomentar o desenvolvimento de cooperativas de energia em nível mundial. Neste contexto, o estudo buscou analisar o potencial de cooperativas de energia na América Latina. A ideia é dar respostas e recomendações para o avanço das atividades que a entidade realiza no setor energético.

O estudo contou com a participação de especialistas do Brasil, Chile e México. O IDEAL foi contratado por sua expertise no tema de energias, sobretudo renováveis, e foi representado pela jornalista e gestora de projetos, Andressa Braun. A coordenação da pesquisa foi de Camila Japp, da DGRV, e Marco Olivio Morato, da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB).

No Chile, o estudo contou com a participação de Simon Heinken, da DGRV Paraguay, Daniela Andrea Zamorano Arias, do Instituto de Ecología Política (IEP) e Carlo Saavedra, da Red Genera (e investigador Asociado IEP). No México, o trabalho ficou por conta de Jasmin Renz, da DGRV México, e Flavia Tudela Rivadeneyra, do Ithaca Environmental.

“O estudo foi um grande esforço cooperativo, em consonância com o propósito do projeto: conhecer o estado da arte/desenvolvimento das cooperativas de/com geração distribuída, nos três países, e recomendar ações para o fomento do cooperativismo e da transição energética em direção a uma matriz continental mais limpa e sustentável. O intercambio foi profícuo e um país aprendeu muito um com o outro”, avaliou Andressa Braun .

Uma versão preliminar do estudo foi apresentado no Chile, no início de dezembro, no “Seminario Internacional sobre Generación distribuida y el potencial de cooperativas de energía em América Latina”. O objetivo foi reunir os principais stakeholders do setor, colocá-los em contato, aproveitar o momento de publicação de um avanço na lei de geração distribuída no Chile e realizar o intercâmbio entre os países, sensibilizá-los para a combinação importante e exitosa que é o cooperativismo para a geração de energia.