Posts

Retrospectiva e desafios para 2019

Mauro Passos
Presidente do Instituto IDEAL

Todo fim de ano é um momento propício para refletirmos sobre nossa atuação e sobre os desafios que teremos pela frente, sobretudo em um contexto em que as energias renováveis, principalmente a solar, têm o potencial de vir a suprir as futuras demandas energéticas.

O ano que passou foi de muito trabalho. Uma das nossas principais iniciativas foi o projeto Municípios Solares, uma parceria do Instituto IDEAL com a Federação Catarinense de Municípios (FECAM) e a Quantum Engenharia e com o apoio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). A primeira etapa foi apresentar a idéia a prefeitos e suas equipes, com intuito de socializar o conhecimento. O projeto teve grande aceitação em Santa Catarina e já está sendo apresentado em outros estados brasileiros. O desafio para 2019 é colocá-lo em prática.

O ano também foi marcado por uma aproximação ainda mais intensa com o cooperativismo. Junto com o Grupo Fotovoltaica – UFSC, lançamos o Simulador de Cooperativas de Energia Solar. O aplicativo digital simula o tamanho do sistema FV para suprir a energia consumida pelos cooperados e cooperadas, os custos para manter a cooperativa e a economia esperada por cooperado(a).

Neste contexto, após negociações iniciadas com a Confederação Alemã de Cooperativas (DGRV) há dois anos, o IDEAL foi parceiro na realização do estudo “Potencial de las Cooperativas de Energías Renovables en América Latina − La Generación Distribuida en Brasil, Chile y México”, que será lançado em breve. O conteúdo é um estado da arte sobre as cooperativas de e com geração distribuída no Brasil, no Chie e no México.

Realizamos em junho o 9º Seminário Energia + Limpa. A programação, focada em temas que nos aproximam do futuro, tratou do mercado de energia fotovoltaica, das cooperativas solares e da mobilidade elétrica. No evento, lançamos o Prêmio América do Sol 2019, cujo objetivo é reconhecer iniciativas inovadoras e sustentáveis na área da energia solar.

Ainda em 2018, lançamos a quinta edição do estudo “Mercado Brasileiro de Geração Distribuída”, uma iniciativa do IDEAL e da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha. O Selo Solar, que passou por algumas atualizações, também se consolida como uma importante certificação do setor fotovoltaico.

Em relação ao ano que se inicia, a questão ambiental vai ser um dos nossos grandes desafios. O ano terminou com a notícia de que a Amazônia teve o maior desmatamento da história. A energia solar, com todo o crescimento que teve, está ameaçada por mudanças regulatórias e pelo lobby das concessionárias. Organizações não governamentais, como o Instituto IDEAL, também vão enfrentar dificuldades.

Enfim, como podemos ver, 2019 será um ano de grandes desafios. Só que não nos falta energia para enfrentá-los.

Desejamos a todos um bom fim de ano e um 2019 com as energias renovadas.

Projeto será apresentado em 10 cidades catarinenses

O projeto Municípios Solares, que tem o objetivo de promover a instalação de usinas fotovoltaicas (FV) nas cidades de Santa Catarina, definiu um calendário de encontros para apresentar o tema. O primeiro será realizado em Blumenau, dia 21/08 (terça-feira), às 8h30. No mesmo dia, mas a partir das 14 horas, o debate será em Itajaí.

O projeto Municípios Solares é uma iniciativa do Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas da América Latina (IDEAL) com o apoio da Federação Catarinense de Municípios (FECAM) e Quantum Engenharia. Serão 10 encontros que contemplarão todas as regiões do Estado (veja na tabela abaixo datas, locais e horários). Os eventos, direcionados a prefeitos, vereadores, secretários e trabalhadores das prefeituras, serão realizados em associações regionais de municípios.

O objetivo dos encontros é mostrar a importância e a viabilidade de investir na energia solar nas cidades. “Os prefeitos estarão tirando despesas do município e incorporando um equipamento ao patrimônio público. Fazendo uma conta preliminar, pensamos que o custo de instalação vai ser muito próximo das despesas de energia. Ou seja, estarão agregando patrimônio ao município sem onerá-lo”, afirmou Mauro Passos, presidente do IDEAL.

Passo seguinte, as prefeituras interessadas deverão procurar a FECAM para dar início aos estudos e definir custos e locais de instalação da usina solar.

CIDADE LOCAL DATA HORÁRIO
Blumenau AMMVI 21/08/18
(terça-feira)
8h30 às 11h30
Itajaí (AMFRI) 21/08/18
(terça-feira)
14h às 17h
Joinville (AMUNESC) 22/08/18
(quarta-feira)
14 às 17h
Araranguá (AMESC) 23/08/18 (quinta-feira) 14h às 17h
Rio do Sul (AMAVI) 04/09/18
(terça-feira)
14h às 17h
Lages (AMURES) 05/09/18
(quarta- feira)
8h30 às 11h30
Florianópolis (GRANFPOLIS) 06/09/18
(quinta-feira)
14h às 17h
São Miguel do Oeste (AMEOSC) 25/09/18
(terça-feira)
14h às 17h
Xanxerê (AMAI) 26/09/18
(quarta-feira)
14h às 17h
Videira (AMARP) 27/09/18
(quinta-feira)
14h às 17h

IDEAL e Fecam firmam cooperação no projeto Municípios Solares

Diminuir a conta de luz ao investir em energia solar – uma fonte limpa que tem ganhado importância no mundo – é o objetivo do projeto Municípios Solares, uma iniciativa do Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas da América Latina (IDEAL) com o apoio da Federação Catarinense de Municípios (FECAM). Na quarta-feira (08/08), às 11 horas, foi assinado um termo de cooperação entre as instituições durante a Assembleia de Prefeitos e Prefeitas na Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc).

O documento foi assinado pelo presidente do IDEAL, Mauro Passos, pelo presidente da FECAM e prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni, e pela presidenta da Escola de Gestão Pública Municipal (Egem) e prefeita de Vargen, Milena Andersen Lopes Becher. Nos próximos meses, ocorrerão encontros em diferentes regiões do Estado para apresentar a ideia. Assim que definidos, os locais e as datas serão amplamente divulgados nos nossos canais de comunicação. O projeto também conta com o apoio da Quantum Engenharia.

Mauro Passos acredita que o Municípios Solares tem tudo para dar certo. “Os prefeitos estarão tirando despesas do município e incorporando um equipamento ao patrimônio público. Fazendo uma conta preliminar, pensamos que o custo de instalação vai ser muito próximo das despesas de energia. Ou seja, estarão agregando patrimônio ao município sem onerá-lo”, afirmou Passos.

A ideia inicial surgiu em Imbituba, no litoral Sul de Santa Catarina. Em 2017, Mauro Passos sugeriu ao prefeito Rosenvaldo da Silva Júnior que fossem instalados painéis solares nos telhados de um colégio que passava por uma reforma. Como o local é amplo e possui uma ótima insolação, comportaria um equipamento que pudesse produzir grande parte da energia do município e não apenas da escola. O projeto está em fase de estudos.

A FECAM passou a apoiar o projeto neste ano, após o Congresso de Prefeitos 2018. Em fase de reposicionamento estratégico, a Federação está buscando cumprir seu papel social e de apoio aos municípios por intermédio de dois eixos de ação: gestão eficiente e cidades inteligentes. “Após o nosso grande evento estadual, a entidade se desafia a estabelecer ações concretas. O objetivo é ajudar a melhorar a gestão pública municipal e a difundir metodologias inteligentes que auxiliem os municípios na qualificação de seus processos internos e também na construção de cidades que acompanhem as tendências de inovação em benefício da população. É neste contexto que apoiamos o projeto Municípios Solares”, afirma Rui Braun, diretor executivo da FECAM.

A primeira fase do projeto é mostrar a importância e a viabilidade de investir na energia solar. Inicialmente, serão realizados encontros regionais no Estado. Passo seguinte, as prefeituras interessadas deverão procurar o Instituto IDEAL e a FECAM para dar início aos estudos e definir custos e locais de instalação da usina solar. “É importante frisar que os painéis solares podem ser instalados na cobertura de uma escola, de um ginásio, de áreas esportivas, do prédio da prefeitura ou até mesmo em um terreno baldio. Todas as cidades podem ter uma usina solar. E é justamente o que buscamos com este projeto”, concluiu Passos.